Allisson reconhece que frio pode trazer problemas para a Lotus

Diretor técnico da equipe explica o porquê do E20 preferir asfaltos mais quentes e esperar classificação difícil

Vinda de três pódios nos últimos cinco GPs, a Lotus reconhece que pode ter sua vida dificultada no GP da Grã-Bretanha. Como admite o diretor técnico James Allisson, o carro de Kimi Raikkonen e Romain Grosjean tem dificuldades de aquecimento dos pneus e isso deve transparecer em Silverstone.

“A pista em si coloca muita energia nos pneus devido a seu traçado com curvas de alta velocidade e a abrasividade da superfície. Adoraríamos que a Inglaterra tivesse uma de suas ondas de calor, mas há grande potencial das temperaturas serem mais baixas do que Valência. Isso nos traria problemas na classificação, e se conseguirmos nos acertar sem precisar que a pista esquente nossos pneus estaremos bem.”

Allisson explica que, quando a temperatura do asfalto está alta, enquanto os rivais tentam não ultrapassar a janela de funcionamento do pneu, os Lotus podem imprimir o máximo de seu potencial.

 “Os pneus têm certa janela em que funcionam. Se eles esfriarem muito, não têm aderência, se ficarem muito quentes não têm aderência. Há um espaço razoavelmente grande no meio em que eles funcionam bem. Parece que o E20 gera menos calor nos pneus do que alguns dos nossos rivais, o que significa que lidamos melhor com pistas mais quentes, enquanto seus pneus saem da janela. O lado ruim é quando temos uma pista fria ou logo depois do Safety Car.”

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Grã-Bretanha
Pista Silverstone
Tipo de artigo Últimas notícias