Alonso: "Prefiro que a Mercedes vença do que Red Bull e Lotus"

Espanhol pode se tornar primeiro piloto a vencer em Mônaco por três equipes diferentes, mas se diz feliz com pódio

Alonso foi o capitão do time dos pilotos em jogo beneficente ontem

Fernando Alonso não descarta lutar por sua terceira vitória em Mônaco, o que faria com que se tornasse o primeiro na história a ganhar no Principado por três equipes diferentes – venceu em 2006 pela Renault e em 2007 pela McLaren – mas não esconde que ficaria satisfeito em apenas chegar à frente de Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen, que estão a sua frente no campeonato.

Em entrevista acompanhada pelo TotalRace no Principado, o espanhol salientou que a classificação e os primeiros metros da corrida são fundamentais para um bom resultado.

“Sabemos que tudo aqui depende do sábado, da largada e, minimamente, na estratégia. Temos de reunir estes três fatores, tendo um final de semana sem problemas. Tomara que possamos lutar pela vitória ou lutar pelo pódio, que conquistamos nas últimas vezes.”

Tendo isso em vista, Alonso aponta Nico Rosberg e Lewis Hamilton, que cravaram as três últimas poles, como principais candidatos à vitória.

“Os Mercedes são os favoritos para esta corrida pelas dificuldades muito grandes de ultrapassar nesta pista e pelo fato de não haver tantas paradas. Com as voltas que a Mercedes está conseguindo nos sábados, com três poles consecutivas, se isso volta a ocorrer aqui, vai ser quase impossível ultrapassar e eles podem ser os grandes favoritos.”

Porém, o terceiro colocado no mundial salientou a importância de tirar pontos de seus rivais diretos.

“Temos de manter a calma. Hoje, temos Vettel e Raikkonen à frente na tabela e nossa prioridade número um é acabar à frente deles. Cedo ou tarde, a Mercedes vai vencer e, para nós, é melhor que eles vençam do que Red Bull ou Lotus.”

O espanhol deu pinta de que poderia vencer nas três oportunidades em que correu em Mônaco pela Ferrari. Em 2010, errou no último treino livre e ficou de fora da classificação, largando em último. No ano seguinte, estava no encalce do vencedor Sebastian Vettel até que uma bandeira vermelha atrapalhou sua perseguição e, em 2012, foi terceiro.

“Não acho que exista nada pendente. Em todos os circuitos, você tem corridas melhores ou piores. Aqui, sempre fui mais ou menos rápido, mas houve algumas circunstâncias desfavoráveis nas últimas corridas, como bandeiras vermelhas, Safety Cars e coisas assim. Mas são coisas que às vezes ajudam, às vezes não. Temos de tentar estar rápidos e ficar no grupo da ponta.”

O piloto foi questionado pela mídia espanhola sobre as críticas que a Red Bull fez aos pneus depois de sua vitória, com quatro paradas, no GP da Espanha. Para Alonso, as queixas mostram um lado que antes não ficava claro da atual tricampeã de construtores e pilotos.

“Eles são mais responsáveis de seus comentários do que nós. Acredito que, neste ano, está sendo vista de forma mais pública a imagem da equipe, que nem todos são anjos. Vimos isso na Malásia e nestas declarações. Quando se vence de maneira fácil por alguns anos, se esquece de como é perder.”

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP de Monaco
Pilotos Fernando Alonso
Tipo de artigo Últimas notícias