Alta degradação dos pneus promete "engarrafamento" nos boxes

Ouvidos pelos TotalRace, protagonistas do GP da Hungria falam em, no mínimo, três paradas, e não sabem qual será a melhor estratégia

A corrida promete dar muito trabalho aos mecânicos

Pelo menos três paradas apostando na velocidade do pneu macio. Inicialmente, este é o cenário do GP da Hungria, mas, mesmo após a sessão de classificação, ninguém sabe ao certo qual será a melhor estratégia para a corrida. Com a alta degradação e as condições de pista em plena evolução, os pilotos ouvidos pelo TotalRace acreditam que poderemos ver saídas diferentes, tanto em relação ao número de paradas quanto à escolha dos compostos para cada stint.

Mesmo o pole position Sebastian Vettel ainda não tem certeza do que fará amanhã.

“No momento, não está 100% claro qual será a melhor estratégia. É uma pista difícil para os pneus. Temos muitos jogos à disposição e vamos ver quais usar. Ambos os tipos de pneu estão funcionando. Claro que o supermacio é mais rápido em classificação e não deve durar tanto na corrida, então temos de ver.”

Já Fernando Alonso revelou que a Ferrari espera que o pneu supermacio dure entre 10 e 15 voltas, mas reconhece que a Scuderia também vai um pouco no escuro para a corrida.

“Acho que serão entre três e quatro paradas e haverá muitas estratégias diferentes para cada equipe. Houve quem tentou economizar os pneus macios, enquanto Hamilton salvou um supermacio. Portanto, haverá diferentes estratégias, sem saber qual é a melhor por enquanto. Afinal, ninguém conseguiu fazer tantas voltas, especialmente nas condições de aderência que a pista está agora. Tomara que acertemos.”

Para Felipe Massa, tanto o número de paradas, quanto qual pneu será o melhor é algo que as equipes só identificarão com maior clareza depois do primeiro stint.

“O pneu gasta bastante aqui, então a estratégia vai ser muito importante. Tem de esperar a primeira parte para ver quantas voltas dura o supermacio.”

Rubens Barrichello concorda. “A corrida mesmo acontece a partir da volta 10 em diante, quando começam os pit stops e todo o jogo de estratégia. Vai ser uma prova interessante porque acho que veremos entre os líderes diferentes táticas. Acho que as mais comuns devem estar entre três e quatro paradas.”

As McLaren, por sua vez, estão confiantes com suas simulações dos treinos livres de sexta-feira mas. Apesar disso, não acreditam que valha a pena arriscar fazer uma parada a menos e adotar um ritmo mais lento que os rivais.

“Lewis fez um long run muito bom com o pneu supermacio ontem, então não sei se teremos a possibilidade de fazer duas paradas. Provavelmente, não. Pelo jeito que as coisas estão indo, serão três ou quatro”, afirmou Button.

O campeão de 2009 acredita que as equipes darão prioridade para os supermacios – o que explica o fato de Hamilton ser o único dos ponteiros a ter guardado um jogo do composto durante a classificação.

“Acho que o supermacio é mais rápido. Tenho certeza de que vamos continuar com ele, mas você nunca sabe até alguém colocar o macio e analisar o ritmo dele. Afinal, é comum que o pneu mais macio funcione melhor na corrida, mesmo que parecesse muito lento nos treinos livres.”

Hamilton nem pensa em poupar muito os pneus. Largando em segundo lugar, o inglês está confiante no ritmo de corrida da McLaren e indicou que deve fazer três ou mais paradas.

“A largada, a estratégia e a preservação dos pneus serão as chaves para ganhar. Estou animado, porque tivemos um ótimo long run ontem e temos de repetir isso na corrida. Provavelmente, vamos usar todos os supermacios e depois os macios. Não acho que vamos fazer duas paradas. Não gosto, prefiro ter mais pneus. É muito lento.”

(colaboraram Felipe Motta e Luis Fernando Ramos, de Hungaroring)

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Hungria
Pilotos Jenson Button , Rubens Barrichello , Fernando Alonso , Lewis Hamilton , Felipe Massa , Sebastian Vettel
Tipo de artigo Últimas notícias