Análise: Por que o motor Honda chega a ter 240cv a menos que rivais?

Especialista e editor de Fórmula 1, Jonathan Noble, fala de como o desempenho da McLaren está substancialmente menor do que a concorrência

Que 2015 está sendo um ano trágico para a McLaren, disso ninguém tem dúvida. A pontuação do campeonato mostra como o desempenho da equipe que utiliza os motores Honda, é somente melhor que o da Manor, saco de pancadas da categoria.

O editor e especialista em Fórmula 1 do Motorsport.com, Jonathan Noble fez uma análise mostrando outra grande evidência de como a escuderia anglo-japonesa tem estado atrás de seus concorrentes, destoando de sua história rica e vencedora na maior categoria do automobilismo mundial.

Noble foca no sistema de recuperação de energia, o ERS e de como ele foi visivelmente inferior em pistas de alta, como Spa e Monza, recentemente.

"Nas longas retas em ambas as pistas, Button e Fernando Alonso encontraram-se sem qualquer implementação de energia vinda do ERS nos finais destes segmentos, ou seja, as velocidades muitas vezes caíram mesmo antes de chegar nos medidores oficiais de velocidade."

"Isso significa que seus concorrentes ganharam até 160cv de vantagem, o que seria perfeito para ultrapassagens."

O jornalista fez questão de lembrar o depoimento de Button após o GP da Itália em que o efeito era demonstrado na prática:

"Eles (os concorrentes) estavam fazendo ultrapassagens onde normalmente não seria possível. Toda vez que olhava no retrovisor tinha alguém chegando."

"Não tínhamos força da curva 5 até o fim da curva 7, então estávamos com 160cv a menos que os outros, além da nossa falta de potência habitual", disse Button.

"Se somarmos os 160cv de déficit, mais a diferença de potência da unidade da Honda em comparação com a Mercedes, por volta de 80cv, chegamos a um total de 240cv a menos, comparando com o que há de melhor na pista", afirmou Noble.

Batalha entre Chassi X Motor

Mesmo com todas as evidências, a Honda não declara que o problema de seu carro seja a falta de potência, mas Fernando Alonso sugeriu o contrário em Monza:

"O GPS mostra que perdemos de dois a três décimos em cada uma das curvas. Os outros três segundos perdemos nas retas"

Utilizando dados que a McLaren oferece, é impossível concordar ou discordar de Alonso, mas um engenheiro de equipe rival confirmou a tese do espanhol, demonstrando que em Spa a McLaren perdeu por volta de 2.3s nas retas e apenas meio segundo nas curvas, numa volta de um dos treinos, segundo o jornalista.

Sem guerra de palavras

Com enorme possibilidade de ser a nona colocada no campeonato de construtores e podendo perder patrocinadores por conta do baixo rendimento no campeonato, Noble exalta a relação entre equipe e montadora, diferentemente do que acontece com a Red Bull e Renault, por exemplo:

"A McLaren está mantendo publicamente uma boa face sobre a situação, embora possa perder patrocinadores devido aos níveis atuais de desempenho, o que começaria a doer financeiramente."

"Por enquanto, porém, ela está fazendo todo o possível para manter as coisas progredindo. Ficar parado neste inverno não é simplesmente uma opção."

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Jenson Button , Fernando Alonso
Equipes McLaren
Tipo de artigo Análise
Tags honda