Após decepção em Spa, Williams mira nos pontos em Monza

Chefe de operações da equipe, Mark Gillan, reconhece que esperava mais do ritmo do carro na corrida de domingo

Depois de somar 43 pontos nas primeiras cinco provas, a Williams amarga sete etapas marcando apenas um total de dez e colecionando decepções. No GP da Bélgica, o carro mais uma vez mostrou ter ritmo para chegar entre os 10 primeiros, mas as lambanças de Pastor Maldonado – cujos dedos escaparam da embreagem na largada e que depois bateu com Timo Glock, levando punição de 10 posições no grid para Monza – e a má classificação, junto do pneu furado de Bruno Senna fizeram a equipe sair de Spa com as mãos abanando.

“O final de semana prometia muito, então não marcar pontos é desapontador”, reconhece o chefe de operações, Mark Gillan. “Aprendemos muito e estaremos mais fortes em Monza. Nosso foco é colocar ambos os pilotos nos pontos e, se tivermos um final de semana sem problemas, não há motivos para que isso não aconteça.”

O engenheiro reconheceu que esperava mais do ritmo de corrida do Williams. “Nosso ritmo no domingo não foi tão forte quanto gostaríamos e precisamos investigar isso um pouco mais, mas a classificação de Pastor foi excelente. Infelizmente, o sábado de Bruno foi atrapalhado por uma rodada e consequente perda aerodinâmica devido a uma asa danificada.”

Gillan, contudo, elogiou o trabalho da equipe que trabalha no carro de Senna e logo percebeu o problema no pneu, evitando que o brasileiro tivesse de dar outra volta no mais extenso circuito da temporada com a borracha danificada.

“Foi uma grande sacada de sua equipe de engenharia, que percebeu rapidamente que o pneu estava esvaziando pela telemetria e conseguimos trocar os pneus antes que houvesse mais danos. O pneu dianteiro direito tinha vários cortes, provavelmente por algum contato.”

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Pastor Maldonado , Bruno Senna
Tipo de artigo Últimas notícias