Bahar: "Kimi é Kimi e será difícil mudar a maneira como ele vive"

CEO da Lotus Cars nega que vá impedir seus pilotos de praticar esportes perigosos e elogia postura arriscada da equipe

O CEO da Lotus, Dany Bahar

No início do ano, a Renault perdeu seu astro Robert Kubica por toda a temporada, após acidente de rali. No último final de semana, foi o novo recruta Kimi Raikkonen que sofreu um leve acidente em uma competição de motos na neve. Mesmo assim, o CEO da Lotus Cars, Dany Bahar, garante que não pensa em proibir que seus pilotos de praticarem esportes que envolvam riscos.

“É parte de nosso trabalho fazer coisas arriscada, fazemos isso comercialmente e coorporativamente. Kimi faz disso sua própria vida”, defendeu o turco. “Kimi é Kimi e será difícil mudar a maneira como ele vive.”

Justificando a decisão de substituir ambos os seus pilotos para a temporada 2012, com a contratação de Raikkonen e do francês Romain Grosjean no lugar do russo Vitaly Petrov e do brasileiro Bruno Senna, Bahar admitiu que a equipes assumiu riscos.

“É uma decisão corajosa dizer 'não estamos procurando dinheiro, vamos tentar ir pelo caminho mais difícil, vamos tentar o sucesso por meio de performance e talvez não optemos mais por pilotos pagantes'”.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias