Barrichello, 15º, aprova a pista, mas reclama da sujeira

Brasileiro acredita que dificuldade de andar fora do traçado vá deixar pilotos tímidos para arriscar em ultrapassagens

Barrichello foi o 15º nos treinos livres

Após a 15ª colocação nos treinos livres para o GP da Índia, Rubens Barrichello elogiou a pista, principalmente a curva três, mas destacou que a sujeira deve marcar a prova inaugural no circuito. O brasileiro acredita que ainda veremos durante o final de semana, muita gente perdendo o carro devido a isso.

“A pista é legal. Não acho que vamos conseguir deixá-la limpa como poderia estar. Isso causa algumas batidas, saídas de pista, rodadas porque o limite dos carros vai aumentando, o povo começa a abusar da zebra e o carro começa a rodar para dentro ou para fora.”

Além de deixar os carros mais instáveis, a sujeira devem deixar os pilotos mais tímidos nas ultrapassagens, de acordo com Barrichello.

“Quando tinha acabado de sair do box e tive de deixar três carros passar, demorou três voltas para limpar meu pneu. Em uma ultrapassagem, é capaz de passar um e perder mais três. Pode ser que isso dê uma diminuída nas ultrapassagens mais agressivas. Ultrapassagem de DRS vai existir porque a reta é muito longa, mas aquelas de travar o pneu vão ficar provavelmente para o próximo ano.”

O piloto da Williams destacou a combinação entre variações de altimetria e curvas cegas, que dão identidade do circuito – e aumentam o grau de dificuldade.

“Tem algumas elevações aqui, mais do que em outras pistas, que fazem com que você não veja o final da curva e é por isso que às vezes tem gente saindo da pista e dei muita sorte hoje de não sair da pista porque houve várias ocasiões em que chegou bem perto.”

O brasileiro acredita que todos os pilotos tiveram dificuldade em repetir o traçado, principalmente na desafiadora curva três.

“A curva três é tão cega que acredito que ninguém tenha conseguido fazer 10% das voltas iguais porque não dá para saber onde está virando porque você não tem uma referência básica. O mais importante daquela curva é não carregar velocidade para dentro e, sim, sair dela muito forte. É uma curva em que você não perde muito tempo, mas é bem emocionante.”

Na ‘disputa’ interna com Pastor Maldonado, que havia feito tempos na casa dos 1min30 no simulador da Williams, Barrichello acredita ter levado a melhor. Hoje fez 1min28s6 e espera melhorar amanhã.

“Com certeza meu simulador está mais perto do real do que a gente esperava. Estava virando 1min27 baixo e deve ser o nosso tempo na classificação.”

(colaboraram Luis Fernando Ramos e Felipe Motta, da Índia)

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Índia
Pilotos Rubens Barrichello
Tipo de artigo Últimas notícias