Barrichello acredita que continua com boas chances de ficar na F-1

Em entrevista à rádio Jovem Pan, brasileiro afirma que anúncio da Force India não muda sua situação, e acredita que Sutil é seu principal concorrente

Barrichello espera competir pelo vigésimo ano na F-1

O anúncio da Force India de que Paul di Resta e Nico Hulkenberg serão os pilotos da equipe em 2012 apertou ainda mais a luta por vaga na Williams. O time inglês é o único que ainda conta com lugar aberto para a próxima temporada. Somente Pastor Maldonado está confirmado.

Em entrevista à rádio Jovem Pan, Rubens Barrichello, com situação indefinida, não se mostrou abatido com a confirmação de que Adrian Sutil, considerado seu principal rival, está livre no mercado.

“Não mudou nada. Para mim também não é uma surpresa Eu acho que mais de um mês atrás essa já era a ideia. Por alguma razão, houve uma demora no anúncio desses pilotos. Eu continuo competindo contra os pilotos que vinham disputando a vaga comigo. Minha chance era a Williams mesmo, então, se Deus quiser, continua tudo indo para o mesmo lugar e esperemos que seja eu que possa estar guiando o carro.”

Nos últimos dias, alguns bons nomes, que podem alavancar dinheiro de patrocinadores, ficaram sem opções. Além de Sutil, Jaime Alguersuari, Sebastien Buemi e Vitaly Petrov correm atrás de um lugar. Sobre quais os nomes reais que concorrem à vaga da Williams, Barrichello preferiu a ponderação.

“Eu não saberia te dizer. Os candidatos sérios são Adrian Sutil e Rubens Barrichello. Agora, com toda a abertura do mercado, muito provavelmente todos esses pilotos entraram em contato com a Williams. Se eles se tornaram candidatos à vaga, essa é uma condição que eu não saberia te dizer porque é uma condição tardia. Aqueles que lutavam pela vaga são esses dois.”

Otimista por natureza, Barrichello ainda acredita que pode estar no grid no ano que vem. “Não tem nem o que pensar. Eu estou super-focado, estou novamente no meu melhor momento de carreira. Quero estar lá, vai ser um 20º ano com um carro bem mais competitivo, com os 40 anos de idade que estão por vir e eu acho que é por merecimento, não é por favor. Então, estou torcendo muito para que eles possam enxergar o que eu enxergo e para a gente estar juntos no ano que vem.”

Rubinho já anunciou que está no mercado atrás de possíveis patrocinadores, para não perder terreno na disputa para nomes como Sutil, Petrov, entre outros. “O que mais ouvi durante todas essas visitas [a patrocinadores], foi que o preço nem era tão absurdo para aquilo que eu estava oferecendo. Mas depois tem gente que nem volta ao telefone para dizer que sim ou que não. Então, é uma situação difícil."

“Acho que todos aqueles que buscam patrocínio para corridas nacionais ou internacionais passam pelo mesmo tipo de problema. Eu não sei ainda muito bem em que pé está a situação, mas também estou muito esperançoso para fechar alguma coisa com alguma empresa brasileira, que vai mostrar ainda mais o carinho do Brasil comigo para que eu possa ter esse apoio final”, acrescentou o brasileiro.

Barrichello aproveitou para frisar, mais uma vez, que não se trata de pedir esmola. “Eu deixo sempre claro e eu não gosto que soe como arrogância, mas é uma situação de que eu não estou aqui para pedir um favor: 'Olha, Williams, me pegue, por isso, por aquilo'. Não, eles vão me pegar porque esses 19 anos foram efetivamente muito bons, e que resta assim esta possibilidade de correr competitivamente com um carro muito melhor." 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Rubens Barrichello
Tipo de artigo Últimas notícias