Barrichello arrisca na estratégia, mas não passa do 13º lugar

Brasileiro afirma que parou apenas duas vezes como última alternativa, pois a Williams não tinha condições de pontuar

Barrichello sofreu com pneus no final da prova

Resignado com as limitações de sua Williams, Rubens Barrichello afirma que tentou algo de diferente na estratégia, parando apenas duas vezes, como última alternativa para chegar nos pontos. No entanto, com a borracha muito deteriorada, perdeu posições no final e chegou em 13º no GP da Cingapura.

“O pneu tem como se fosse uma chave: quando desliga, não tem o que fazer. Nossa única chance real de marcar pontos era tentando algo diferente. Então, quando entrou o Safety Car, eles perguntaram qual pneu eu queria usar e eu falei: ‘se quiser tentar alguma coisa, tem de ser o duro e partir para algo diferente’.”

A aposta foi colocar pneus macios e ir até o final, o que colocou Barrichello momentaneamente em décimo, mas fez com que ele se tornasse presa fácil nas últimas voltas.

“Faltavam 30 voltas e achei que era muito difícil, mas na vida a gente tem de tentar coisas diferentes para chegar. O carro em si não tem condições de marcar pontos. Foi uma estratégia que a gente optou.”

Isso fez com que houvesse um duelo de brasileiros pela última posição nos pontos, mas Barrichello afirmou que não tinha como se defender do ataque de Felipe Massa.

“Até brinquei que, quando o Felipe chegou, o pneu estava tão acabado que foi como bater em bêbado. Fechei tudo o que podia mas ele me passou na reaceleração, porque o pneu não tinha tração, não tinha mais nada.”

(colaborou Luis Fernando Ramos, de Cingapura)

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP de Cingapura
Pilotos Rubens Barrichello
Tipo de artigo Últimas notícias