Barrichello confia em volta do Kers e traçado húngaro

Animado para correr em pista semelhante a Mônaco, onde a Williams foi bem, piloto acredita que poderá lutar pelos pontos

Barrichello teve um final de semana para esquecer em Nurburgring

Rubens Barrichello não teve vida fácil no GP da Alemanha. Classificou e correu sem o Kers, andou o final de semana todo no meio do pelotão – terminou em 14º em todas as sessões – e acabou dando apenas 16 voltas na corrida, antes de abandonar com um vazamento de óleo.

Mesmo reconhecendo que a Williams não terá muitas novidades de uma semana para a outra até o GP da Hungria, o piloto acredita que a solução das questões de Nürburgring já o ajudará a melhorar a performance.

“A gente não tem muita mudança para levar para a Hungria. Já relatei que correr sem o Kers é praticamente dar a cara para bater, porque fica muito difícil defender posição e ultrapassar. Acho que na Hungria, principalmente, por ser uma pista de baixa velocidade, o Kers vai representar mais do que quatro décimos. Então, pelo menos vou tê-lo de volta, mesmo que isso implique em algumas outras perdas. Mas tem de ser desse jeito.”

Além da questão do Kers, o brasileiro espera que o traçado húngaro influa positivamente no rendimento do carro.

“A Hungria é uma pista diferente, de baixa velocidade, como Mônaco, e pode trazer algumas diferenças de ritmo de prova. Não vamos para lá já derrotados, porque tivemos uma perda grande em Nürburgring.”

Para Barrichello, o fato da Williams ter andado bem em Mônaco, com Pastor Maldonado permanecendo por toda a prova na zona de pontuação até uma colisão com Lewis Hamilton no final, dá esperanças para a equipe.

“Com certeza, podemos pensar em pontos. São duas pistas muito parecidas, então temos chances.”

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Hungria
Pilotos Rubens Barrichello
Tipo de artigo Últimas notícias