Barrichello, sobre contrato: "Não tenho nada na mão"

Brasileiro lamenta não poder falar sobre situação para 2012 e pede paciência - para ele - e para a torcida

Barrichello se preocupa com a repercussão de declarações à imprensa

Mais um final de semana de corrida se inicia, e nada da Williams se pronunciar sobre a permanência ou não de Rubens Barrichello na equipe. Situação desconfortável para o piloto e para os fãs, que se lembram das incertezas do final de 2008, quando a Honda, então equipe do brasileiro, deixou a F-1. Naquela ocasião, o brasileiro só foi confirmado na temporada seguinte em fevereiro de 2009.

“É uma fase em que a única coisa que peço é que o pessoal tenha paciência, assim como eu tenho de ter, porque não posso falar muito porque não tenho nada na mão”, afirmou Barrichello ao TotalRace. “E qualquer coisa que eu fale pode ser deturpado por imprensas italianas, européias, e isso será o grande problema.”

Não é segredo que a Williams tem problemas financeiros e corre atrás de um piloto que traga patrocínio para a equipe.

“Tenho de permanecer calado na esperança de que isso possa se revolver o quanto antes. É uma questão de orçamento, de experiência, de uma série de coisas. Eu estou em busca de um carro competitivo para o ano que vem, não me vejo parando, não quero parar. Essa é a única segurança que posso dar para o público.”

Barrichello diz sentir o apoio da torcida e lamenta não poder falar muito sobre o assunto – mas admite não estar certo de que terá uma vaga em 2012.

“Sinto-me muito acariciado nesse sentido, sinto que as pessoas falam disso com sinceridade. É lógico que minha ansiedade é menor porque sei um pouco mais que o próprio torcedor, mas mesmo isso não me dá a certeza de que estarei aqui ano que vem.”

(colaborou Luis Fernando Ramos, de Cingapura)

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP de Cingapura
Pilotos Rubens Barrichello
Tipo de artigo Últimas notícias