Barrichello vê reflexos mais importantes que experiência

Prestes a quebrar antigo recorde de Graham Hill ao iniciar a 19ª temporada na Fórmula 1, brasileiro se anima com novidades

Barrichello se tornará neste final de semana o piloto com o maior número de temporadas na F-1

Rubens Barrichello inicia sua 19º temporada na Fórmula 1 com a empolgação de um menino. O brasileiro de 38 anos, que na Austrália bate mais um recorde de longevidade – já é o piloto com maior número de GPs disputados, com 306 (302 largadas), e agora será o que esteve presente no maior número de campeonatos na categoria, 19, superando a marca de Graham Hill, que durava desde 1975 – terá pela frente várias novidades em 2011.

O piloto, que inicia sua segunda temporada na Williams, nunca correu com o Kers e também estreia a asa traseira móvel. Entretanto, acredita que caberão aos pneus Pirelli o papel decisivo.

“Parar uma volta antes de os pneus realmente perderem a performance pode gerar uma a três posições a mais ou a menos. Temos de estar com os olhos abertos para todas as situações”, disse ao TotalRace.

Sobre os novos dispositivos acionados por meio do volante, Barrichello não espera que toda sua bagagem seja decisiva em uma melhor adaptação.
“O reflexo será melhor que toda a experiência do piloto. Você terá de tomar a decisão no momento e será puro reflexo. É a primeira vez que vou correr com esses pneus, a asa e com o Kers. Será um novo início”.

Mas a principal batalha do brasileiro nesta pré-temporada não foi com botões ou pneus. Rubinho teve de perder 5 kg, a pedido da Williams, e conta que sofreu mais em cortar pães e massas do que com os exercícios.

“Com 15 anos, eu pesava 70 kg. Foi um período difícil, pois sabia que estava suando gordura; não tinha força na esteira. Eu passei o tempo calculando as perdas. Não sou um cara de doce, mas de carboidrato. Você não lancha salada, mas pão, arroz, pasta, ou seja, carboidrato”, revelou.

O pior foi se segurar quando via o prato farto dos filhos Eduardo e Fernando. “Não tive problema, pois reeduquei todos em casa. As crianças não podem, pois você quer que eles comam bem e de tudo. Aí, vem a dificuldade de olhar o prato de comida deles. Essa era a situação dura. Eles almoçam antes e, quando sobrava algo no pratinho, era inevitável roubar”.

Mesmo com o objetivo cumprido, o piloto afirma que não pode se descuidar. Equilibrando-se entre manter a dieta e não perder muita energia, para que isso não o prejudique atrás do volante, Barrichello disse que se sente melhor sem os quilos a mais.

“Esse foi um desafio a mais, e a vida de pilotos é cheia de desafios. Eu adoro isso, pois é para uma grande causa. Temos de tomar cuidado, pois quando se volta a comer carboidratos após uma interrupção, engorda-se facilmente. De noite, eu tomo o maior cuidado”, conta. “No geral, me sinto bem fisicamente. Nos treinos, era como se tivesse aliviado. Só que eu também treinei bastante para que não tivesse tontura ou algo do tipo durante a corrida”.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Austrália
Pilotos Rubens Barrichello
Tipo de artigo Últimas notícias