Bernie Ecclestone: não posso resolver o problema da Red Bull

Chefe da Fórmula 1 diz que não pode obrigar Mercedes e Ferrari a fornecerem propulsores para a equipe austríaca. O dirigente ressalta também que a saída da marca seria péssimo para o esporte

Bernie Ecclestone afirmou que a situação da Red Bull está fora do seu controle por não ter poder para forçar a Ferrari a fornecer os seus motores aos austríacos. O dirigente conversou com a imprensa em Sochi, nesta quinta-feira, logo após um encontro com o chefe da escuderia de Maranello, Maurizio Arrivabene.

“Não posso obrigar as pessoas a fazerem algo”, disse Ecclestone sobre o imbróglio entre Ferrari e Red Bull.

“A única coisa que posso fazer é proibi-los de vender motores para mais do que três equipes. Isso podemos fazer.”

“Eles têm o direito de fornecer para três equipes. Mas queremos que forneçam mais.”

Ecclestone disse que se fosse o Dietrich Mateschitz, chefe da Red Bull, aceitaria uma solução paliativa usando os motores congelados de 2015, mas questionou se a Ferrari aceitaria oferecer isso. "Será que estão preparados para dar motor a eles?"

Ecclestone afirmou que entende o motivo de algumas equipes estarem relutantes em fornecer de maneira voluntária os seus motores a rivais. A Red Bull não usará mais os motores da Renault em 2016 e sonhava em um acordo com Ferrari ou Mercedes, mas ameaça deixar a F1 se não tiver um acordo favorável.

“Eles (Ferrari e Mercedes) fornecem para outras pessoas sem qualquer problema. A Mercedes fez um acordo com a Marussia, embora todos saibam que a Red Bull tenha pedido pelo motor antes do acordo com a Marussia.”

“Mas eles devem ter pensado: ‘se fornecermos motores a Red Bull, talvez eles possam nos bater. Se vendermos para a Marussia, talvez eles não consigam.`”

Ecclestone foi político ao responder se iria resolver o problema. “Não tenho motores. Mas ninguém está fazendo nada errado. Eles estão seguindo as regras. Simplesmente isso.”

Questionado, o chefão da F1 comentou que a situação da Red Bull foi um sinal que as regras dos novos motores híbridos foi um fracasso. “Acho que fracassou antes mesmo de começar”.

Embora a Red Bull ameace deixar a F1 se não receber motores com especificações de 2016, o dirigente afirmou de forma irônica desconhecer o assunto. “Não estou preocupado, porque eu não sei. Me preocupo com o que devo me preocupar. Se eles saírem? Vai ser péssimo para a F1, péssimo para o esporte.”

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes Red Bull Racing , Toro Rosso
Tipo de artigo Últimas notícias
Tags ecclestone