Brawn espera solução para acordo de restrição de gastos

Equipes terão encontros com a Federação Internacional para decidir a respeito do policiamento dos orçamentos

Depois das longas negociações para a Mercedes entrar no Pacto da Concórdia, que rege a gestão financeira dos direitos comerciais da Fórmula 1, Ross Brawn agora espera que as equipes entrem em acordo em relação ao policiamento da restrição de gastos.

O acordo anterior, regido pela própria associação das equipes, a FOTA, ficou seriamente ameaçado quando Red Bull e Ferrari deixaram a organização. Posteriormente, documentos de prestação de contas demonstraram que a atual bicampeã de construtores e pilotos teve um aumento significativo nos gastos na última temporada.

Agora, as equipes pressionam a Federação Internacional de Automobilismo para que controle os gastos. “Ainda somos grandes apoiadores de um acordo de restrição de gastos efetivo, e esse é um dos tópicos que espero que sejam discutidos com a FIA. É de conhecimento de todos que há encontros marcados com a FIA e o detentor dos direitos comerciais nas próximas semanas, e esse é um assunto importante”, afirmou Brawn. “Dez equipes pediram que a FIA assuma a restrição de gastos, e estas discussões ainda estão acontecendo. Estou otimista que encontremos uma solução. Vai demorar um tempo, não será um processo fácil”, completou.

Brawn destacou a vontade política das equipes em chegar a um acordo. “Por exemplo, trabalhamos com o detentor dos direitos comerciais para chegar em um acordo [para o Pacto da Concórdia], demorou um tempo, mas chegamos lá. É muito complexo, levará tempo, mas acho que as partes estão afim de encontrar uma solução razoável. Então acho que encontraremos soluções”.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias