Briatore critica imprensa sobre cobertura de seu julgamento

Ex-chefe da Benetton e Renault foi condenado a 23 meses de condicional por não pagar impostos de seu iate de luxo

A maré não está boa para Flavio Briatore. O italiano, que foi expulso da Fórmula 1, após o episódio do GP de Cingapura em 2008 e que envolveu Nelsinho Piquet, foi condenado pela justiça italiana a 23 meses de regime condicional, acusado de sonegar impostos de seu iate de luxo.

Segundo a acusação, o barco navegou por águas italianas de 2006 a 2010 sem pagar taxas, totalizando um rombo de aproximadamente 3,6 milhões de euros. O registro do iate foi feito nas Ilhas Cayman e chegou a ser reabastecido em território da União Europeia sem pagar impostos também.

Questionado sobre o que achou da cobertura da imprensa sobre seu caso, Briatore disparou: "Eu não li todas as matérias nos jornais, mas não me interessa, isso é um desperdício de papel."

"Os jornais e jornalistas italianos estão orgulhosos de suas manchetes, mas nós vamos apelar, essa história ainda não terminou."

O porta-voz de Briatore também comentou o assunto: "Todo esse processo e o julgamento aconteceu somente porque alguém tem que ser punido pelo seu estilo de vida."

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias