Button, quarto, reclama de acerto e de falta de "intimidade" com a pista

Inglês admite não ter se entrosado com circuito sul-coreano e acredita que resultado era o que dava

Depois da pole obtida por Lewis Hamilton e a terceira posição de Jenson Button, a esperança de que a McLaren era favorita invadiu o paddock. Em poucas voltas, ficou claro que a previsão não se confirmaria. Button, assim como o companheiro, sofreu com a falta de aderência na frente do carro.

“Acho que o ritmo foi bom, mas não conseguia me aproximar no último setor. Mexemos na asa dianteira nas paradas, mas eu continuava com meu carro saindo de frente. Não conseguia me aproximar e não usei DRS (asas traseiras móveis) uma única vez. Não conseguia me aproximar de jeito algum.”

Na terceira posição do grid, Button largou bem, mas na reta após a curva 1 foi atacado por Felipe Massa e Mark Webber, além de perder outras posições. “Minha largada foi ok. Vi Mark atrás de mim a caminho da curva 3, mas não sabia onde Massa estava. Freei onde era certo e quando fiz a curva tinha um carro que eu não podia ver. Fiquei preso no lado de fora e perdi muitas posições. Mas não acho que isso mudaria minha corrida, mesmo se tivesse tido uma melhor largada.”

“Não foi uma grande corrida, mas foi bem melhor que a do ano passado. Sofri muito no ano passado, pois este não é um dos meus melhores circuitos. Não tinha mais o que tirar, então quarto era o que dava.”

O campeão do mundo de 2009, considerado o que mais preserva pneus na F-1, não viu problemas para administrar os pneus Pirelli. “Não foi um grande desafio. Eles pioravam, você saía de frente, mas com consumo de combustível os tempos de volta se mantinham. Meu maior problema foi a falta de aderência na frente do carro.”

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Coreia
Pilotos Jenson Button
Tipo de artigo Últimas notícias