Calor e curvas de baixa fazem Pirelli usar pneus mais macios na Hungria

Diretor esportivo da marca destaca diferenças das condições enfrentadas em Nürburgring em relação à expectativa para Budapeste

Os pneus macios voltam a entrar em ação na Hungria

A Pirelli espera para a Hungria uma corrida completamente diferente do ponto de vista dos pneus em relação ao final de semana com mais cara de teste de pré-temporada de Nürburging, onde a prova foi disputada com cerca de 17ºC de temperatura da pista.

Em Hungaroring, a expectativa é de muito calor – entre 26 e 27ºC de temperatura ambiente. Além disso, o traçado do circuito, bastante travado, pouco lembra a pista alemã, como destacou o diretor esportivo da marca, Paul Hembery.

“A Hungria não poderia ser mais diferente das últimas corridas, como descobrimos quando testamos em Hungaroring com a GP3 no ano passado. Contudo, como os pneus são completamente diferentes dos usados pela F-1, não aprendemos muito além de identificar as altas temperaturas e uma superfície escorregadia.”

Hungaroring se assemelha muito mais a Mônaco. Pensando nisso, a fornecedora de pneus levará os compostos mais macios de sua linha – macios e supermacios – os mesmos utilizados em Monte Carlo. 

“O grande desafio para as equipes será manter os pneus sob controle no calor, mas usamos o composto macio nestas condições antes e ele mostrou boa performance. O supermacio deve resultar em algumas voltas rápidas na classificação, mas obviamente não tem a mesma resistência”, observou Hembery.

Ao contrário de Nürburging, as equipes não receberão jogos extras de pneus para testes na sexta-feira. Terão apenas seus 11 jogos regulamentares para pista seca.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Hungria
Tipo de artigo Últimas notícias