Campeã entre equipes, Mercedes bate recordes de gastos

Empresa alemã investiu pesado em temporada de revolução de motores e está colhendo os frutos

Campeã de construtores da Fórmula 1 com três provas de antecipação, a Mercedes teve de abrir o caixa para obter os incríveis resultados desta temporada, na qual venceu, até agora, 13 das 16 provas disputadas e só não fez a pole position em uma oportunidade.

[publicidade] A montadora gastou 17% a mais que no ano passado, atingindo 597 milhões de dólares (o equivalente a quase R$ 1,430 bi), de acordo com o jornal britânico ‘Independent’. Segundo os dados divulgados sobre de 2013, ano passado os gastos ficaram em 213 milhões de dólares, o que representa quase o dobro do orçamento da equipe nanica Caterham.

O aumento teria sido provocado em grande parte pela mudança nos motores, que passaram dos V8 aspirados para os V6 turbo híbridos. Isso porque 303 milhões de dólares foram gastos na manutenção da equipe em si – o restante foi para o desenvolvimento da unidade de potência, o que é, em parte, compensado pela venda dos motores para Williams, McLaren e Force India.

De qualquer maneira, o gasto com a equipe em si superou a quantia usada pela Red Bull – 280 milhões de dólares – na campanha do título do ano passado. De acordo com o chefe da equipe, Toto Wolff, “o aumento de 63 milhões de dólares em custos operacionais ocorreu pelo crescimento do investimento em upgrades durante a temporada, assim como o aumento dos gastos de se fazer os carros de 2013 e 2014 em paralelo, assim como alta do custo de funcionários.” Só a divisão que cuida de motores ganhou 72 novos profissionais para lidar com a mudança de regulamento.

O esforço foi, pelo menos em parte, recompensado. Com o título, a Mercedes ganha um bônus pelo menos 10 milhões de dólares maior do que os cerca de 88mi recebidos ano passado pelo vice-campeonato.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias