Chefe da Mercedes acredita que proibição do rádio trará polêmica

Toto Wolff pede que a Federação Internacional dê mais detalhes às equipes antes do GP de Cingapura

O chefe da Mercedes, Toto Wolff, cobrou maiores esclarecimentos da Federação Internacional de Automobilismo a respeito das restrições impostas à comunicação via rádio entre equipes e pilotos a partir do GP de Cingapura.

[publicidade] A FIA anunciou nesta terça-feira que irá intensificar a fiscalização do artigo 20.1 do regulamento esportivo, que determina que o piloto deve conduzir o carro “sozinho e sem ajuda externa”, o que incluiria mensagens via rádio. “Nenhuma conversa entre pit e piloto pode incluir qualquer informação relacionada à performance do carro e do piloto”, afirmou o diretor de provas da Fórmula 1, Charlie Whiting.

Porém, segundo Wolff, os times não sabem claramente quais informações podem fornecer a partir de agora. “Essa é uma decisão completa e controversa que vai requerer um esforço significativo das equipes para entender a melhor forma de trabalhar isso”, afirmou o dirigente.

“A determinação não é totalmente clara e inevitavelmente haverá controversa, então é necessário termos mais explicações de como os processos essenciais serão afetados – particularmente antes da largada.”

Por enquanto, ficou estabelecido que as equipes podem conversar com seus pilotos sobre estratégia ou segurança – quando um carro mais rápido se aproxima, por exemplo.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias