Chefe da Mercedes diz que Hamilton pediu pit stop em Mônaco

Dados errados fizeram equipe Mercedes acreditar que piloto britânico não perderia liderança indo aos boxes

O diretor da equipe Mercedes, o austríaco Toto Wolff, revelou que o britânico Lewis Hamilton pediu para parar nos boxes durante o Safety Car no GP de Mônaco. O piloto da Mercedes liderava a prova quando fez o pit stop durante a suspensão momentânea do GP pelo acidente do holandês Max Verstappen.

A Mercedes confirmou que o piloto poderia fazer sua parada sem que perdesse a liderança, no entanto os cálculos estavam errados.

"Nós dissemos a ele para não entrar", disse Wolff aos fãs em uma entrevista pelo Twitter.

"Lewis disse que 'não seria bom' e que os pneus tinham perdido temperatura. Tivemos um segundo para reagir e, combinado com os nossos dados de sincronismo errados, erramos em chamá-lo. Nós não estamos felizes com a situação, portanto, foi um incidente infeliz."

Wolff deu mais detalhes dos bastidores da decisão que levou à derrota do inglês.

"Acreditávamos que poderíamos fazer uma parada e cobrir o risco dos carros atrás de pneus supermacios. Infelizmente nossos dados estavam errados. Você precisa do equilíbrio certo entre dados e intuição. Nossas ferramentas nos disseram que tínhamos espaço, mas elas estavam erradas. Sob Safety Car você precisa de 12 segundos diferença para manter a posição. Nosso sistema nos mostrou que tínhamos esse espaço."

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Lewis Hamilton
Equipes Mercedes
Tipo de artigo Últimas notícias