Chefe do GP da Malásia admite que corrida pode não passar de 2015

Representante não se acerta com a FOM e faz lista de reivindicações para corrida continuar acontecendo normalmente

Falta de luz natural também foi um problema em 2012

Com um contrato até 2015 com a Fórmula 1, o Grande Prêmio da Malásia pode não renovar seu contrato com a FOM.

Segundo Razlan Razali, o organizador chefe do GP, a entidade precisa ser mais flexível com o evento. "Eu acho que para o evento ser bem-sucedido e ir além de 2015 - pagando-se muito para a Fórmula 1 - a FOM precisa nos ajudar e nos permitir fazer o máximo possível para conseguir espectadores no circuito", disse Razali à Isportconnect.

Por conta da época do ano e do horário de transmissão na Europa, o GP começa em um horário local bastante tarde, comprometendo inclusive a visibilidade, caso o GP for de baixo de chuva, como aconteceu em 2009. "Temos que mudar muitos pontos-chave para começar a conversar sobre isso, incluindo a hora da corrida", finalizou Razali.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Malásia
Tipo de artigo Últimas notícias