"Com mais tempo de pista, eu poderia ter feito mais", lamenta Kobayashi

Um dos destaques do treino, japonês havia dado apenas 20 voltas, mas larga em 14º; Lotus tem dia de nanica

Em sua primeira classificação após um ano afastado da Fórmula 1, o japonês Kamui Kobayashi roubou a cena ao conquistar a 14ª colocação no grid de largada para o GP da Austrália. Como sua equipe, a Caterham, teve uma série de problemas, o piloto pouco andou na pista de Melbourne: até antes da sessão de classificação, tinha dado 20 voltas.

“Eu ainda não tinha pilotado na chuva e também não tivemos muito tempo de pista, a não ser um pouco na última sessão de treinos livres. Então foi muito bom. Também se olhar para a diferença em relação aos demais pilotos, fico muito feliz com o resultado. Com mais tempo de pista, eu poderia ter feito mais, pois o carro não estava do jeito que eu gostaria. Então é um resultado que me deixa animado para o resto da temporada”, afirmou ao TotalRace.

Koba contou com uma dose de sorte para obter o resultado, com a chuva que pegou as Lotus desprevenidas no final do Q1 e a punição de Valtteri Bottas, mas vê o resultado como fonte de motivação para a nanica Caterham.

“É uma boa maneira de voltar, não apenas para mim, mas também para a equipe depois de uma sexta-feira tão difícil. Os caras trabalharam muito duro e pude ver o quanto significou para o time chegarmos ao Q2 em nossa primeira corrida no ano.”

Enquanto Kobayashi surpreendeu passando do Q1, a Lotus decepcionou, passando de time de ponta a equipe "nanica". Pelo menos nessa primeira corrida. Os dois carros do time só não fecharão juntos o grid, porque Gutierrez foi punido e perdeu cinco posições por trocar o câmbio.

Veja o que disseram os pilotos que ficaram no Q1:

Max Chilton, Marussia, 17º:
"Estou razoavelmente feliz, dado todos os fatores que temos experimentado. Estivemos perto do Q2, mas o tempo acabou atrapalhando. Acho que amanhã será um dia muito emocionante para a F1 e para os fãs e eu não posso esperar para ver quem vai acabar onde - especialmente a nossa equipe”.

Jules Bianchi, Marussia, 18º:
"Depois de todo o trabalho duro de todo mundo neste fim de semana, foi decepcionante ter um problema na classificação que significou não poder tirar tudo do carro. Infelizmente tivemos alguns problemas de eletrônica de novo hoje. Pensamos que já estavam resolvidos, mas eles apareceram novamente. Assim, quando eu estava começando a minha primeira volta rápida, tive de de alterar algumas configurações para garantir que o carro ficasse confiável, mas aí apareceu um problema com o câmbio. Em seguida veio a chuva, num mau momento e não tinha como melhorar o tempo. Ainda assim, acho que haverá um monte de oportunidades na corrida de amanhã e temos que estar focado para fazer o melhor".

Marcus Ericsson, Caterham, 19º:
"Estou muito satisfeito com a forma como foi a minha primeira sessão de qualificação na F1, especialmente depois de uma sexta-feira difícil! Acabar a apenas oito décimos de Kamui era exatamente o que eu tinha como meta, após andar tão pouco no FP1 e FP2. Isto significou muito para mim e para a equipe, que trabalhou tão duro para chegarmos aqui. No FP3 conseguimos trabalhar um pouco na configuração, mas eu estava tendo problemas com o mapeamento do motor, o que resultou em falta de dirigibilidade, algo que é realmente importante com essas novas unidades de potência. Fizemos algumas mudanças para a qualificação e funcionou bem - ainda não é realmente como eu gostaria, mas foi uma boa melhora. Agora é pensar na corrida. Não posso esperar para que todos possamos começar. Eu sei o que tenho que fazer e eu estou totalmente preparado. Será um momento de muito orgulho para mim, poder representar o meu país no grid da Fórmula 1."

Romain Grosjean, Lotus, 20º:
"Nós tivemos um monte de problemas na classificação e cada vez que arrumávamos um, aparecia outro! Os mecânicos estão trabalhando muito duro e é uma situação difícil para todos. Nós apenas temos que aprender tudo o que pudermos cada vez que o carro entra na pista. É frustrante, mas eu sou quem tem a vida mais fácil na equipe, pois não preciso passar a noite trabalhando no carro. E acho que este carro ainda pode ser um monstro de carro, se todos formos no caminho certo. Já passamos por alguns momentos difíceis no passado, então vamos trabalhar o nosso caminho para sair dessa."

Esteban Gutierrez, Sauber, 21º:
"O tráfego foi um pesadelo. Começamos um pouco tarde para a sessão devido a problemas no carro e quero agradecer meus mecânicos, porque eles fizeram um ótimo trabalho aprontando o carro para a classificação. Dei duas voltas, na primeira tive de ultrapassar quatro carros e, na segunda, tive tráfego na primeira curva. Em relação à corrida, só precisamos olhar para a confiabilidade. Este é o tema principal no momento. Por isso, tentaremos nos concentrar nisso. A coisa boa é que o carro de Adrian indicou que podemos lutar por algo”.

Pastor Maldonado, Lotus, 22º:
"Foi muito difícil hoje. Tivemos um problema relacionado à unidade de potência e ficou tarde demais para ir à pista. Aí começou a chover.  Estamos trabalhando duro e precisamos ser otimistas. No lado positivo, nós não somos os únicos com problemas. Vamos tentar trabalhar mais que os outros. Nós só precisamos ficar focado e continuar a trabalhar e isso é exatamente o que estamos fazendo. Para a corrida, vamos apenas fazer o melhor que pudermos. Nosso ritmo deve ser muito bom, só precisamos conseguir dar as voltas”.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Austrália
Pilotos Pastor Maldonado , Kamui Kobayashi , Romain Grosjean , Max Chilton , Esteban Gutierrez , Marcus Ericsson , Jules Bianchi
Tipo de artigo Últimas notícias