Comissão da Malásia conta com uma interessante mistura de culturas

Quadro de comissários que auxiliarão a direção de prova em Sepang será composto por italiano, australiano e venezuelano

Pirro no GP de San Marino de 1990
A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) divulgou a relação de comissários de corrida para o GP da Malásia, que terá uma mistura interessante entre Itália, Austrália e Venezuela, com o ex-piloto Emanuele Pirro e os dirigentes Garry Connelly e Vincenzo Spano.
 
De 49 anos, Pirro é um conhecido do público: correu três temporadas na F-1 nas equipes Benetton e Scuderia Italia. Em seguida, foi piloto de testes da McLaren por quatro anos. Depois, se tornou um especialista em endurance: venceu cinco vezes as 24 Horas de Le Mans, duas vezes as 12h de Sebring e uma as 24h de Daytona.
 
Esta é a segunda vez que Pirro é um fiscal de prova. A primeira foi no GP de Abu Dhabi de 2010. A mesma coisa não pode ser dita de Connelly, que desde 1989 é comissário e observador da FIA, atuando nos mundiais de Rali, F-1 e Turismo, além de ser diretor do Instituto de Segurança do Esporte a Motor da Austrália e membro do Conselho Mundial e do Instituto FIA.
 
Já Spano não tem nada de estreante, como acontece com seu conterrâneo Pastor Maldonado, debutante da Williams. Desde 1995, após atuar e presidir em órgãos veneuelanos de automobilismo, possui habilitação para ser comissário, obtendo a superlicença de comissários em 2003, envolvendo-se com cargos diretos da FIA desde 2001, trabalhando no Instituto e atuando no Conselho Mundial, no Comitê.
 
Os três serão os responsáveis por analisar todos os episódios do fim de semana, ao lado da direção de prova. 
 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Malásia
Tipo de artigo Últimas notícias