Confira as principais frases do fim de semana em Spa

GP da Bélgica foi marcado por polêmicas entre Hamilton e Maldonado, Alguersuari e Senna, além de boas frases de Barrichello e Massa, entre outros

Hamilton contra Kobayashi, um dos assuntos do fim de semana (Reprodução)

Como não podia deixar de ser, o GP da Bélgica foi marcado por muitas frases boas, algumas polêmicas, e outras que carregavam uma mensagem de esperança que, em certos casos, não se refletiram no resultado final.

 
O primeiro dia viu muita chuva e Mark Webber marcar o melhor tempo. Mas, para os brasileiros, o assunto do dia foi o retorno e o acidente de Bruno Senna pela manhã.
 
“De manhã foi óbvio que eu cometi um erro e acabei perdendo muito tempo de pista, mas estas coisas acontecem, a reação da equipe foi muito boa, me deu suporte na hora que eu precisava e acabei voltando para a pista com confiança” - Bruno Senna
 
Do lado oposto, Rubens Barrichello sofria com o silêncio da Williams em relação à próxima temporada.
 
"Não sei qual a estratégia real da equipe. Não sei como essas três semanas passaram. O silêncio foi ouvido. Não tem muito para falar. Não teve muita coisa a mais. Estou tranquilo, não posso me permitir a ficar nervoso com a situação. Se for para ficar, eles sabem das qualidades... " - Rubens Barrichello.
 
O susto do primeiro dia, no entanto, ficou para Vitaly Petrov, que viu seu volante travar em um trecho de alta velocidade.
 
"Quando fiz a curva 16 com o pé embaixo, com a pista ficando seca, meu volante travou. Não dava para virar para nenhum lado e, quando achei que daria no muro, mexi e consegui corrigir. Foi estranho" - Vitaly Petrov.
 
O sábado viu Sebastian Vettel cravar mais uma pole, mas a polêmica ficou para o choque entre Lewis Hamilton e Pastor Maldonado no fim do Q2.
 
"Depois, perdi bastante tempo na saída da curva 1 e vi Maldonado chegando rápido. Ele veio, eu não me movi e ele tentou cortar na minha frente. Não sei se foi intencional. Uma vez a sessão terminada, não é preciso disputa, muito menos um incidente" - Lewis Hamilton.
 
"Sobre o que aconteceu com Lewis, ele reduziu muito no fim da sessão e tentei o ultrapassar. Depois, senti contato na traseira de meu carro. Não sei realmente o que houve, foi um momento difícil" - Pastor Maldonado.
 
Outro que bateu também foi Adrian Sutil, enquanto Rubens Barrichello chegou a ser atrapalhado por Heikki Kovalainen, mas isentou o concorrente. 
 
“O que aconteceu foi uma pena porque o carro estava bom. Cometi um pequeno erro na Eau Rouge, subi na zebra e a traseira do carro escapou e me mandou para o muro. Acho que poderíamos ter classificado em uma posição muito forte" - Adrian Sutil.
 
“Não é culpa do piloto, é que o carro dele é muito lento. Foi uma pena só a equipe não ter visto que eu tinha saído do box atrás dele. Essa é uma das situações que eu adoro, com a pista secando, eu estava indo bem" - Rubens Barrichello.
 
Alheio a tudo isso, Vettel era só alegria, assim como Bruno Senna, que obteve um excelente sexto lugar na tomada de tempos, e Felipe Massa, quarto, enquanto Fernando Alonso foi oitavo.
 
"Não me senti confortável no começo, mas demos um bom passo no Q2. Redescobri Spa e encontrei linhas melhores que em todo o fim de semana. No Q3, sabia que estava seco o suficiente para pneus lisos, e que se não chovesse seria até a última volta" - Sebastian Vettel.
 
“Não esperava estar entre os dez primeiros e acho que isso é o que importa. Estou em sétimo. A corrida vai ser bem difícil com certeza. Felizmente, consegui não cometer erros hoje e aproveitar todas as chances que eu tive e aí está o resultado” - Bruno Senna.
 
"Fiz uma boa volta. Aproveitei bem a última volta do pneu, nesta que é a pior condição para o nós: frio, úmido, pneu seco. Ser melhor que quarto não seria fácil, e espero que amanhã seja melhor na condição certa. Temos um carro competitivo para brigar na frente" - Felipe Massa.
 
O retorno de Senna ao grid, segundo Barrichello, e o bom resultado nos treinos eram para ser vistos com bastante cautela.
 
“É um excelente trabalho. Não dá para esquecer que é o Bruno, que tem uma grande pressão do lado dele. Acho que, para que a gente não cometa novos erros, tanto nós espectadores – e eu falo como espectador por torcer pelo Bruno – como a imprensa, a gente deveria dar uma folga” - Rubens Barrichello.
 
No domingo, Vettel venceu e foi seguido por um Webber com problemas no rádio; Schumacher se recuperou de um sábado ruim e pulou de último para sexto; Senna acertou Alguersuari e deixou o espanhol irritado, enquanto Hamilton e Kobayashi também se estranharam. Massa andou mal, culpou Rosberg e somou apenas três pontos, enquanto Barrichello sofreu sem rádio e Kers. Ou seja, os três brasileiros não pontuaram.
 
“Pelo que eu vi, eu estava na frente de não sei quem que estava correndo contra mim, fui atingido por ele e minha corrida acabou. Houve muitas corridas que não completei neste ano e foi apenas mais uma delas” - Lewis Hamilton.
 
"Estava em quarto e sabia perfeitamente que ele era mais rápido que eu, então fiquei na minha linha e não esperava que ele mudasse sua trajetória" - Kamui Kobayashi.
 
"Não quero falar mal de nenhum outro piloto, uma vez que esse não é o meu estilo, mas acho que a situação estava muito clara para todos. Chegando no hairpin na largada, estava entre Bruno Senna e Fernando Alonso, e Senna perdeu completamente o ponto de freada e me acertou, o que me jogou para cima da Ferrari" - Jaime Alguersuari.
 
“Larguei mais ou menos – não tive uma saída fantástica. Na primeira curva, fiz um julgamento ruim da aderência na parte de dentro [da curva] e acabei tocando com o Alguersuari. Não foi exatamente a largada mais eficiente” - Bruno Senna.
 
“Quando eu falei para eles que meu pneu começou a vibrar, era para dar uma ideia para eles de que teria de parar em três ou quatro voltas e o Maldonado já tinha parado. Daí eles me chamaram e eu não parei, porque achei que eles tinham reagido ao que eu tinha falado da vibração. Foi quando eu peguei o Rosberg e o Massinha saindo do box e perdi uns cinco segundos. Foi uma falta de informação e novamente fiquei sem Kers nas últimas vinte voltas. Fez falta” - Rubens Barrichello.
 
“Foi um ótimo final para um ótimo final de semana em Spa. Acho que seria possível chegar acima de quinto hoje, mas ganhar 19 posições é um grande sentimento. Com toda minha família, amigos e fãs aqui, foi uma motivação extra. A corrida teve muita emoção e muitas ultrapassagens. Me diverti muito abrindo caminho” - Michael Schumacher.
 
"Está cada vez mais complicado, com uma corrida a menos e 25 pontos a menos disponíveis e a vantagem aumentou um pouco. Mas é como as coisas são. No momento, temos de dar os parabéns a eles, são os grandes dominadores do Mundial, fizeram todas as poles e muitas dobradinhas em corridas e nós não conseguimos alcançar este nível” - Fernando Alonso.
 
“Foi uma corrida em que sofri muito atrás do Rosberg porque a velocidade de reta dele era muito boa e eu, usando a asa, não conseguia chegar perto para ultrapassá-lo. Esse foi meu maior problema durante a corrida inteira. Perdi muito tempo atrás dele e acabei tendo ainda um desgaste muito grande no pneu mole e isso não me ajudou” - Felipe Massa.
 
"Foi divertido, com muitas ultrapassagens, o carro estava fantástico e o ritmo estava lá" - Sebastian Vettel.
 
“É difícil de dizer se poderia ter lutado com Seb no meio da corrida. Claro que teria voltado perto dele, talvez atrás de Nico, não sei como seria. Mas provavelmente seria uma maneira melhor de terminar a corrida se tivéssemos parado durante o Safety Car, mas não sabíamos como o pneu médio ia se comportar” - Mark Webber.
 
Confira as melhores entrevistas do final de semana no blog de Felipe Motta.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Bélgica
Tipo de artigo Últimas notícias