Confira como foi o GP da Grã-Bretanha em frases

Indefinições em relação ao regulamento, disputa interna "animada" na Red Bull, chuva e algumas reações, como da Ferrari, marcam corrida

Largada do GP da Grã-Bretanha de 2011

A sexta-feira viu chuva, muita chuva em Silverstone. E isso fez com que ninguém tivesse uma visão clara dos efeitos provocados pelo novo regulamento.

"Andamos um pouco na chuva (está surpreendentemente escorregadio aqui na chuva) com os pneus intermediários, e não usei os pneus de chuva extrema, mas, sim, está muito escorregadio. Talvez a causa disso seja a mudança nas regras, mas não sei, precisamos ver amanhã" - Jenson Button.
 
"Por enquanto não teve nada que chamou a atenção. Não acho que vai acontecer uma mudança tão radical. Os times grandes vão perder rendimento, performance, mas não acho que vai ser tão grande" - Felipe Massa.
 
Contudo, a chuva era algo que todos torciam para sumir nos dias seguintes. Dos veteranos aos estreantes, passando por quem se acidentou por conta da pista molhada.
 
"Acho que todos esperavam este tempo, hoje. Parece que será um pouco melhor para amanhã e domingo" - Mark Webber.
 
“Meu primeiro dia no novo emprego terminou. O clima poderia ser mais legal comigo, mas pelo menos completei algumas voltas. Agora estou mais familiarizado com o carro e espero que amanhã esteja seco” - Daniel Ricciardo.
 
"Quero agradecer os mecânicos que arrumaram meu carro à tempo. Bati após perder o controle do carro na grama artificial logo depois da zebra" - Kamui Kobayashi.
 
No entanto, o que marcou o dia foi a indefinição quanto à regra do difusor soprado, que foi alterada logo após o primeiro treino, com uma permissão dada aos motores Renault, que teria alegado problemas de confiabilidade e falta de igualdade em relação à Mercedes.
 
“As regras são um pouco fluidas e parecem mudar a todo momento. Ficamos um pouco surpresos quando soubemos no meio da primeira sessão de livres que as regras mudaram e tenho certeza de que isso é uma desvantagem para vários times, então estamos tentando lidar com isso no momento” - Martin Whitmarsh, chefe da McLaren.
 
“A única coisa que concordo com Martin é que esse tipo de questão complexa deveria ser discutida apenas ao final da temporada. Mas aqui estamos” - Christian Horner, chefe da Red Bull.
 
 
Já o sábado, ao contrário do que todos esperavam, teve chuva novamente. Mas aquela que parava e continuava, não deixando a pista seca nem molhada. Mas isso não impediu uma pole de Mark Webber, que superou o parceiro Sebastian Vettel, mas viu uma Ferrari mais próxima, enquanto a McLaren amargava um quinto e um décimo lugares, sem velocidade. Mas algumas surpresas agradaram, como o sexto lugar de Paul di Resta.
 
"Foi uma sessão muito turbulenta para todos nós, ainda mais com as dificuldades de ontem com a chuva. Foi importante assegurar que todas as voltas fossem boas porque não sabíamos qual contaria para passar de fases e para o grid" - Mark Webber.
 
"Estou realmente feliz com o resultado de hoje. Estar aqui no meu primeiro GP britânico e largar da sexta posição é ótimo. O carro se mostrou forte em todas as sessões e mesmo na chuva estávamos confortáveis. Acho que no pior dos cenários seria o oitavo. Esperamos poder carregar esta performance para a corrida" - Paul di Resta.
 
"Só para ter uma ideia, a regra faz perder downforce e nosso carro rendeu bem até com pneus duros. Isso tudo está ligado à asa nova e a outras coisas que o time trouxe. O pacote melhorou o carro. Não foi ruim. Estamos ali, em terceiro e quarto, logo atrás da Red Bull, então foi um bom resultado" - Felipe Massa.
 
"É decepcionante estar onde estamos. Quer dizer, ser quinto é considerável, mas 1s5 fora do ritmo... Mesmo se fizesse a volta perfeita, terminaria alguns décimos atrás" - Jenson Button.
 
“É decepcionante que estejamos tão atrás. Não fiz um grande trabalho na classificação, mas os fãs são ótimos e vão ser uma inspiração para amanhã. Então cruzem os dedos para que façamos uma boa corrida. Espero que chova. Estou ficando sem milagres no bolso" - Lewis Hamilton.
 
Mas, assim como no dia anterior, o que roubou a cena foi, novamente, o regulamento. Depois de permitir que motores Renault usassem 50% dos gases do escapamento na freada na sexta, Red Bull, Lotus e Renault tiveram o limite de volta a 10%. E tanta confusão irritou pilotos e dirigentes.
 
“Como alguém que está aqui há 19 anos, acho que a F-1 devia ser mais estável, a gente devia ter regras que não mudassem no meio do campeonato. Acho que a FIA não está errada em pensar do jeito que pensa, mas tem muita gente tentando explicar que seu sistema funciona de determinado jeito, que usava desde 2009, e nem acho que é verdade. É um ambiente em que muita gente tem de olhar no espelho e ver o que é melhor para a F-1" - Rubens Barrichello.
 
"É muito chato, principalmente para os fãs, que não conseguem entender o sentido e, mesmo para nós, às vezes é difícil. Vamos nos concentrar nas corridas e que tornem as regras o mais simples possível no começo do ano” - Mark Webber.
 
“Como alguém que é novo no esporte, acho que é um pouco ridículo termos esse tipo de discussão. Você não vê muito isso em outros esportes. As regras precisam ser muito claras. As mudanças custam muito dinheiro. Acho que um dos perigos é mudar interpretações, tem de ser preto no branco e acho que é possível que seja. Se você olhar para a GP2, é tudo muito claro. Eu tenho uma equipe de GP2 e não temos lá esse tipo de situação” - Tony Fernandes.
 
 
Por fim, a corrida viu uma mudança na ordem de forças, com a Ferrari superando a Red Bull, que viu uma disputa interna aflorar novamente, após Webber não aceitar as ordens de não atacar o parceiro. Alheios a isso, Massa e Hamilton reviviam disputas gloriosas, Button, Di Resta e o próprio Vettel tiveram problemas nos boxes, Perez foi um bom sétimo, Barrichello lamentou o péssimo rendimento, Peter Sauber exigiu desculpas de Michael Schumacher por batida em Kamui Kobayashi e Ricciardo comentou estreia com Hispania.
 
"Estou muito feliz. Queremos sempre vencer, mas às vezes é possível, às vezes não. Enfim, a vitória chegou em 2011, depois de um início de ano complicado, com a Red Bull dominando quase todas as corridas. Neste fim de semana, a equipe fez um trabalho fantástico. Estávamos a um segundo e meio há três ou quatro corridas e agora chegamos à frente, creio que com 20s de diferença no final da corrida. Foi uma recuperação fantástica por parte da equipe” - Fernando Alonso.
 
"Não estou contente com isso. Esta é a resposta. Se Fernando [Alonso] abandonasse na última volta, estaríamos brigando pela vitória. Claro, ignorei a equipe, pois queria subir uma posição. Seb [Vettel] estava fazendo seu melhor, assim como eu. Não iríamos bater. Tentei fazer meu melhor com a quantidade de conversa de via única que estava tendo. Estava tentando passar o carro à frente" - Mark Webber.
 
"Na última volta, recebi a ordem de andar o mais forte possível, mas Felipe já havia tirado a diferença, então foi difícil de defender. Aquela última volta foi a mais apertada possível. Na curva final, fiquei por dentro e freei o máximo que pude. Felizmente, fizemos a curva juntos e cheguei na frente" - Lewis Hamilton.
 
“Acho que com Hamilton foi disputa de corrida. Ele estava na parte de dentro nas últimas duas curvas e eu não consegui fazer do lado de fora, tive que sair e ele passou por um pelo na frente. Ele veio segurando o ritmo e, na hora que eu cheguei, ele acelerou um pouco e não deu para ultrapassar" - Felipe Massa.
 
“Estou muito feliz pela equipe. Foi um mês muito difícil depois de meu acidente em Mônaco. Voltar e fazer pontos foi muito importante hoje" - Sergio Perez.
 
“O acidente destruiu a corrida do Kamui e o que aconteceu foi claro para qualquer um. Até para Michael Schumacher. Foi absolutamente desnecessário. Desnecessário! Ele não usou os freios, estava numa curva e simplesmente bateu no nosso carro. Não foi legal. Que se desculpasse seria o mínimo” - Peter Sauber.
 
"Quando usei a asa móvel, vi que o carro não freava no ponto certo, e isso causou a batida. Foi correta a punição, apesar de achá-la muito dura" - Michael Schumacher.
 
"Na chuva, hoje, parecia que estava parado. Os carros da frente abriram distância, consegui me manter com o Petrov, mas estava difícil. A gente começou a despontar no fim da prova, quando estava bem mais seco. Fiz duas paradas, recuperei algumas posições, mas foi muito aquém" - Rubens Barrichello.
 
"Estava na subida da saída dos boxes quando a roda saiu e parei imediatamente. Todos nós cometemos erros e este foi em circunstâncias decepcionantes, em casa, apresentando um bom ritmo e andando perto de Lewis, Seb e Mark. Tinha ficado uma volta a mais na pista e com chance de pódio. Estou desapontado e espero não passar por isso de novo" - Jenson Button.
 
“Fisicamente, estou muito bem. Achei que essa seria a maior dificuldade, mas no final foram as bandeiras azuis. Estou muito feliz. Claro que tenho o que trabalhar, mas acho que fui melhor do que  esperava fisicamente, o que é bom. Acho que a equipe está feliz por eu ter trazido o carro para casa sem fazer nenhuma besteira" - Daniel Ricciardo.
 
 “Foi extremamente desapontador terminar meu primeiro GP da Grã-Bretanha em 15º. Tive uma boa primeira parte da corrida e consegui ficar perto de Jenson [Button]. Daí fui chamado aos boxes e a equipe estava esperando Adrian, então obviamente houve uma confusão. Isso custou cerca de 25s, o que acabou com minha corrida” - Paul di Resta.
 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Grã-Bretanha
Pista Silverstone
Tipo de artigo Últimas notícias