Coulthard apoia Red Bull na ordem de equipe a Mark Webber

Escocês diz ser favorável ao procedimento e usa exemplo de Massa e Alonso no ano passado, atitude considerada correta por ele

David Coulthard

Em sua coluna publicada no site da Red Bull e no jornal inglês Daily Telegraph, David Coulthard apoiou a ordem de equipe feita pela equipe austríaca no GP da Grã-Bretanha.

Na ocasião, o time orientou Mark Webber, terceiro colocado, a não atacar o parceiro Sebastian Vettel na briga pela segunda posição nas voltas finais, o que deixou o piloto australiano furioso.
 
Para contextualizar sua opinião, Coulthard até usou o exemplo de Felipe Massa e Fernando Alonso no GP da Alemanha do ano passado, outra atitude apoiada pelo ex-piloto escocês. "O problema é que a F-1 é muito negócio para ser um esporte e muito esporte para ser um negócio", destaca.
 
Confira a opinião de Coulthard sobre as ordens de equipe:
 
"Minhas visões sobre as ordens de equipe são bem simples e remetem a dois pontos: 1 - sim, elas devem ser legais, pois você não podem impedir os times de fazerem isso; 2 - sendo este o caso, é só uma questão de ser considerável ou não.
 
Sinto que, com duas voltas para o fim no GP da Grã-Bretanha, a corrida de casa da equipe, e com apenas três pontos em jogo na disputa da segunda e terceira posições, foi uma ocasião considerável. Também achei que a Ferrari estava certa ao impor a ordem a Felipe Massa no ano passado em Hockenheim, com o brasileiro basicamente fora da briga pelo título.
 
O problema é que a F-1 é muito negócio para ser um esporte e muito esporte para ser um negócio. Você não pode esperar que equipes com contratos milionários de patrocínio arrisquem jogar fora pontos valiosos no fim de uma corrida.
 
Também acredito que a Red Bull daria a mesma ordem para Sebastian Vettel, caso as posições fossem revertidas. E não, não digo isso por minha conexão com a equipe.
 
Posso entender a decepção dos fãs que gastaram centenas de libras para comprar um ingresso e ver um final dramático, que incidentalmente, veio com Lewis Hamilton e Felipe Massa, de equipes diferentes. Mas, no fim do dia, a equipe vem primeiro.
 
O outro assunto é a reação de Mark. Ele disse que ignorou as ordens e correu até o fim, mas acho que ele recuou. Posso entender sua frustração; Mark é um lutador e está batalhando para permanecer na briga pelo título. Seria mais preocupação que chateação.
 
Não acho que isso afetará suas negociações de renovação. Dietrich Mateschitz quer um guerreiro, dois pilotos batalhando duro por vitórias, e não dois mascotes. Certamente, Mark não é isso. É importante para ele que seus fãs saibam que ele não está feliz com o que aconteceu. Mas ele não deixará isso afetá-lo."

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias