"Criança em loja de doce", Daniel Ricciardo fala da estreia

Australiano se diz surpreso com a rapidez como foi promovido de piloto de testes da Toro Rosso para titular na Hispania

Ricciardo experimentou o cockpit de sua Hispania hoje

Daniel Ricciardo não poderia estar mais animado – e surpreso – para fazer sua estreia na F-1 no GP da Grã-Bretanha. O australiano, que até o último GP corria apenas às sextas-feiras pela Toro Rosso, estará na Hispania até o final da temporada e foi ouvido pelo TotalRace em Silverstone.

“Me sinto como uma criança em uma loja de doce. Tenho certeza que os outros pilotos também passaram por isso. Estou vivendo um sonho. E a maneira como tudo aconteceu... Foi uma surpresa. Neste ano esperava claramente pilotar só às sextas de manhã pela Toro Rosso e fazer a World Series, mas estou aqui mais cedo do que imaginava. É ótimo para mim, é uma grande oportunidade para ganhar experiência para ter uma boa base para, espero, competir ano que vem. É a melhor maneira de fazer isso.”

Ricciardo contou como recebeu a notícia, na semana passada, de que seria piloto titular da Hispania.

“Recebi uma ligação do Dr. [Helmut] Marko [consultor da Red Bull]. Ele é muito simples e conciso. Me disse em menos de uma frase qual era o acordo e eu agradeci. Quando desliguei o telefone, andei a casa toda algumas vezes tentando acreditar. É F-1, é o que quero faz muito tempo.”

O piloto, que completou 22 anos no último dia 1º, só começou a levar a carreira a sério na adolescência.

“Comecei com nove anos, no kart. Amava o que fazia, mas era só por diversão. Não levei a sério nos primeiros anos mas, quando fui ficando mais velho, percebi que poderia viver disso. Aos 17, mudei para a Europa, fui contratado pela Red Bull depois da minha primeira temporada e eles me guiaram para esta posição. Está tudo acontecendo muito rapidamente e parece que, se piscar por um segundo, perco algo. Ainda me impressiona como tudo aconteceu tão rápido.”

E nada como iniciar a carreira em um dos templos do automobilismo e, de quebra, em cenário mais que conhecido.

“Se pudesse escolher onde estrear, seria em primeiro lugar na Austrália, mas o segundo seria aqui, em Silverstone. É a casa do esporte a motor, como eles dizem, e estou morando há três anos na Inglaterra, não muito longe daqui, então conheço bem o lugar e gosto do circuito. Ajuda ir a um lugar onde já esteve e conhece o traçado. Trabalhar com um time novo já será difícil o bastante. Pelo menos já sei o traçado e assim posso entrar no ritmo mais rapidamente.”

Com a experiência dos testes da Toro Rosso, Ricciardo acredita que vai aprender rápido.

“Tenho certeza que vou ficar um pouco nervoso, mas tudo vai passar assim que entrar no carro. Vou fazer o que sei, que, espero, seja pilotar rápido (ri). Na sexta-feira, vamos fazer muitas voltas para nos familiarizar com o carro. Tenho certeza de que estarei confortável já para a classificação. Não vou economizar, vou forçar e tomara que consiga subir alguns postos no grid. Vou tentar abaixar minhas metas agora, não guiar mais que o carro.”



(Colaboraram Felipe Motta e Luis Fernando Ramos, de Silverstone)

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Grã-Bretanha
Pista Silverstone
Tipo de artigo Últimas notícias