Desgaste sob temperaturas altas volta a atormentar a Mercedes

O chefe da equipe, Ross Brawn, credita ao calor do Bahrein a ritmo de corrida ruim demonstrado por seus carros

Após marcar a pole, Nico Rosberg caiu para sexto em seis voltas, enquanto o companheiro Lewis Hamilton fazia uma corrida apagada, em 11º. Com a queda nas temperaturas durante a prova, o inglês cresceu, melhorou seu ritmo e terminou em quinto. Porém, os motivos para esse vai-e-vem dos carros da Mercedes ainda é uma incógnita para o chefe do time, Ross Brawn.

“Tivemos muitas dificuldades na primeira parte da corrida, quando as temperaturas estavam em seu auge”, lembrou o dirigente. Na largada, a temperatura de pista chegou a 42ºC. “Esse é um problema que temos de resolver e vamos continuar trabalhando em soluções para melhorar nossa performance nesta área.”

A Mercedes acreditava que havia atenuado consideravelmente os problemas de alto desgaste de pneus sob temperaturas elevadas, algo que há três anos vinha castigando a equipe. “Temos de fazer disso uma prioridade: os pneus são os mesmos para todos e não estamos tão bem quanto nossos rivais nestas condições.”

Brawn elogiou seus pilotos. Além do quinto lugar de Hamilton, Rosberg fez quatro paradas e terminou em nono. “Lewis e Nico fizeram o melhor trabalho possível com o carro que tínhamos, mas foi o caso de limitar os danos.”

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Bahrein
Tipo de artigo Últimas notícias