Di Resta não espera ter problemas com o calor na Malásia

Em sua segunda prova enfrentando as altas temperatura e umidade de Kuala Lampur, escocês diz não ter sofrido

Di Resta está tranquilo em relação ao calor

Falando com a propriedade de um “veterano” em Sepang, pronto para disputar sua segunda corrida no calor úmido da Malásia, o escocês Paul Di Resta disse que não sofreu muito em sua estreia, mesmo com todos os alertas de que esta corrida, junto com Cingapura, seriam as mais difíceis do ano do ponto de vista físico.

“Acho que tem a ver com a fadiga, com os níveis de concentração, que podem provocar um erro. Acho que ano passado eu tive sorte porque estava frio para os padrões daqui durante a corrida. Mas mesmo em Cingapura não achei tão difícil assim, mesmo que estivesse mais ou menos correndo sozinho, sem ter de lutar por posição. Na Malásia, estava lutando com Michael até três voltas para o final, mas não houve um momento em que pensei: ‘estou encrencado’”, revelou, em entrevista acompanhada pelo TotalRace.

O piloto da Force India, no entanto, salientou que, quando a adrenalina da prova baixa, dá para sentir mais os efeitos do suor excessivo.

“Acho que você sente mais na segunda-feira e você só tenta se reidratar, porque acho que seu sistema tende a voltar ao normal rapidamente, mas alguns pilotos até acham difícil comer depois da corrida devido à condição do corpo.”

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Malásia
Pilotos Paul di Resta
Tipo de artigo Últimas notícias