É irônico que as Mercedes estejam quebrando, brinca chefe da Red Bull

Christian Horner lembra da pré-temporada cheia de problemas de sua equipe: nem sonhávamos em terminar uma corrida de 2h

Quando os carros chegaram à Austrália para a primeira prova da temporada, em março, a Mercedes já tinha quase 5 mil quilômetros rodados, enquanto a Red Bull, mal ultrapassara os 1.700. Seis meses depois, são os carros dos tetracampeões mundiais que chegam em segundo e terceiro na corrida mais quente e longa do ano, enquanto os alemães abandonam com um dos carros.

[publicidade] “É irônico, não?”, brincou o chefe da Red Bull, Christian Horner. “Certamente surpreende se você olhar para nossa pré-temporada, quando completamos menos de 200km e comparar com a deles, que fizeram o equivalente a mais do que uma temporada inteira”, lembra.

“Isso demonstra a qualidade da nossa equipe porque viramos o jogo, já vencemos três provas neste ano e fomos segundo e terceiro em uma corrida de 2h. Não podíamos sequer sonhar isso na pré-temporada.”

Porém, Horner salientou que não estará completamente satisfeito até que a Red Bull, além de chegar até o final das corridas, bater a Mercedes consistentemente. “Nunca é o bastante. Agora é a diferença de performance que temos de diminuir e é para isso que estamos trabalhando.” 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias