Ecclestone defende congelamento do motor Mercedes

Dirigente da F-1 entende que modo mais rápido de aproximar grid é limitar desenvolvimento de alemães

A corrida inicial da temporada 2015 da Fórmula 1 assustou o dirigente da FOM, Bernie Ecclestone. O inglês, dono dos direitos comerciais da categoria, se preocupou com o fato de os carros da Mercedes dominarem amplamente os treinos e a corrida ocorrida na Austrália no último final de semana.

[publicidade]Conhecido pelas opiniões destoantes e excêntricas, Bernie, de 84 anos, afirmou que concorda com as declarações de Helmut Marko e Christian Horner, consultor e chefe de equipe da Red Bull, que criticaram o regulamento após a prova de Melbourne.

"Eles estão absolutamente 100% certos", Ecclestone disse à Reuters. "Há uma regra que eu acho que o Max Mosley colocou quando ele era presidente da FIA, no caso de uma equipe ou motor de determinado fornecedor fazer algo mágico – que, no caso, a Mercedes já fez. A FIA pode subir de nível coisas.”

"A Mercedes têm feito um trabalho de primeira classe que todo mundo reconhece. Precisamos mudar as coisas um pouco agora e tentar elevar o nível das coisas um pouco."

Ecclestone continuou dizendo que o desenvolvimento da unidade de potência da Mercedes deve ser interrompido para permitir que outros fornecedores de motores – Renault, Ferrari e Honda –   diminuam a diferença no desempenho.

"O que deveríamos ter feito foi congelado o motor Mercedes e deixar todo mundo para fazer o que eles querem para que eles pudessem ter pego", disse ele. "Devemos apoiar a FIA para fazer mudanças."

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias