Ecclestone quase deixou comando da F-1 em 2005

História foi divulgada na Corte de Munique na última quarta-feira; na ocasião, banco BayernLB era acionista majoritária da categoria

Bernie Ecclestone

De acordo com um ex-funcionário do do BayernLB, que foi o maior detentor de ações da F-1 na década passada, Bernie Ecclestone correu o risco de perder o cargo de chefão da categoria diversas vezes.

Harald Gloeckl afirmou na Corte de Munique que o banco considerou substituir o dirigente inglês diversas vezes em 2005, por acreditar "conseguir fazer o trabalho sem ele".
 
As ameaças partiram na época de Gerhard Gribkowsky, que está sendo processado por ter embolsado cerca de 32 milhões de euros na venda dos direitos da F-1 em 2006 para a CVC.
 
Curiosamente, Gribkowsky se aproximou de Ecclestone na mesma época das ameaças, mas o chefão da F-1 se isentou de qualquer participação no caso envolvendo o banqueiro.
 
Na Índia, Ecclestone visitou pela primeira vez a pista que receberá o primeiro GP local na história e se disse impressionado com o trabalho feito no circuito: "Grande trabalho", disse.
 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias