Ecclestone teria subornado chefes para assinatura de Pacto de Concórdia

Dirigente da FOM, Bernie poderia ter pago a quantia de 10 milhões de dólares a três times no ano de 1998, diz advogado

Segundo o advogado da Constantin Medien, que acusa Bernie Ecclestone de ter pago propina ao banqueiro Gerhard Gribkowsky na venda dos direitos da Fórmula 1 ao grupo CVC em 2006, o diretor da FOM teria pago a quantia de 10 milhões de dólares a três chefes de equipe para a assinatura de um novo Pacto de Concórdia.

Ecclestone teria pago o valor a Alain Prost (Prost), Tom Walkinshaw (Arrows) e Eddie Jordan (Jordan), para que concordassem em assinar o acordo de 1998.

Na quinta-feira, Bernie negou as acusações ao jornal inglês The Guardian. "A pessoa certa para falar é a pessoa lidava com isso, porque eu não sei o que é isso e não tenho nada a ver com isso. que Não tenho a menor ideia . No entanto, sei que essas equipes tiveram 10 milhões de dólares cada uma."

O dirigente de 83 anos está sendo julgado em Londres, suspeito de ter pago ao banqueiro alemão Gerhard Gribkowsky para vender os direitos administrativos da F-1 ao grupo CVC ante a outras ofertas. A acusação está reivindicando uma indenização de pelo menos 171 milhões de dólares.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias