F1 deve ter apenas três motores a partir de 2014, acredita Whitmarsh

Apenas Renault, Ferrari e Mercedes continuariam na categoria com a mudança do V8 para o V6 turbo. Cosworth deve sair

Ferrari deverá ceder o motor para mais equipes

O Chefe da McLaren e atual presidente da FOTA, Marint Whitmarsh acredita que apenas três fábricas permanecerão fornecendo motores à F1 a partir de 2014: Renault, Ferrari e Mercedes. A Cosworth, que atualmente equipa os carros da Marussia e HRT, não deve seguir na categoria com as grandes mudanças que a F1 terá no regulamento dos motores daqui a dois anos e a Pure também parece que ficará de fora. A empresa do fundador da BAR, Craig Pollock, era cotada para entrar no time de fornecedores em 2014, mas recentemente parou suas operações devido à crise financeira.

“Não é uma grande surpresa para mim que a Pure fique de fora. É um tanto previsível”, reconheceu Whitmarsh. “Mas pelo que sei, a Renault está disposta a fornecer motores para até 7 equipes e Mercedes e Ferrari também podem aumentar seu leque de clientes”, afirmou o dirigente, considerando que, assim, as atuais 12 equipes que compõem o grid poderiam continuar na categoria.

Em 2014, os atuais motores V8 serão substituídos por motores V6 turbo. Mas se faltarem fornecedores, é possível até que os V8 permaneçam, desde que com o mesmo rendimento dos V6. “Não é uma solução que pessoalmente eu ache atraente, mas é viável”, disse Whitmarsh. 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias