Falta de ritmo deixa Force India e Toro Rosso fora dos pontos

Equipe de Di Resta e Sutil agora tem apenas dois pontos de vantagem para a McLaren após duas provas fora do top 10

A falta de ritmo atrapalhou o domingo de duas equipes que vinham pontuando com certa frequência nesta temporada, principalmente a Force India, que amargou sua segunda corrida seguida fora do top 10 e agora só tem dois pontos de vantagem para a McLaren. Confira como foi a prova para quem ficou fora dos pontos.

Jean-Eric Vergne, Toro Rosso, 12º: “O carro tem um bom ritmo, mas não conseguimos andar tão bem quanto nossos rivais na corrida. Fiz o que podia depois de uma largada ruim. Bater meu companheiro não significa nada, especialmente estando fora dos pontos.”

Daniel Ricciardo, Toro Rosso, 13º: “Desde o começo, estava claro que não éramos rápidos. Tentei segurar a posição o tanto quanto pude, mas éramos muito lentos. Conseguimos tirar um pouco mais do carro na classificação, mas é difícil repetir isso por 70 voltas.”

Giedo van der Garde, Caterham, 14º: “Estou muito contente com a corrida de hoje, foi minha melhor corrida do ano e é ótimo ter uma performance assim antes da pausa de agosto. Acho que isso mostra que nosso plano de aprender corrida após corrida está funcionando. Depois de minha terceira parada, estava cerca de 5s à frente de meu companheiro e sabia que tinha de fazer o último jogo de pneus durar por 26 voltas. O fato de ter conseguido mostra que minha administração de pneus melhorou.”

Charles Pic, Caterham, 15º: “Larguei com macios em uma estratégia de duas paradas, mas depois da primeira volta já estava atrás de Bottas, com meu companheiro à frente dele. Tinha de fazer os pneus durarem por 32 voltas no final, então fiz o que podia.”

Jules Bianchi, Marussia, 16º: “Foi uma corrida dura hoje e tivemos dificuldade com o equilíbrio o tempo todo. Todas as 70 voltas foram uma batalha. O lado positivo é que conseguimos ser confiáveis em uma corrida muito dura com os carros, e nós dois terminamos a prova novamente.”

Max Chilton, Marussia, 17º: “Foi um dia muito duro para a equipe e, de longe, a corrida mais difícil da minha carreira. O carro estava muito difícil de guiar e ainda por cima tinha de economizar pneus, o que demandou toda minha concentração e energia.”

Paul di Resta, Force India, 18º: “Larguei bem e fui muito agressivo na primeira volta. Acho que estava em 12º, mas a partir daí ficou difícil porque tinha dificuldade com o equilíbrio e com a performance de pneu. Sem velocidade, não tínhamos a flexibilidade para fazer a estratégia funcionar e os pontos ficaram fora de alcance.”

Adrian Sutil, Force India, abandonou: “É desapontador não completar, especialmente porque a corrida estava boa para mim depois de uma largada ruim com pneus médios. Tive um problema de câmbio e não conseguia mais subir as marchas. Aí ficou claro que tinha um problema hidráulico.”

Nico Hülkenberg, 11º: “A corrida era boa até o segundo pit. Tive problemas para trocar da primeira para a segunda marcha. Só há uma janela certa que se pode fazer isso, senão não troca. Isso não funcionou, porque liberei o botão cedo demais. Sem isso poderíamos ter conseguido um ponto. No geral nosso ritmo era bom, mas não o suficiente.”

Esteban Gutiérrez, abandonou: “Foi o pena o que houve. Estávamos em uma boa estratégia e tudo estava indo como o planejado. Infelizmente tivemos que abandonar por um problema de câmbio. Tive problema de motor ontem e de câmbio hoje, portanto precisamos nos concentrar nisso.”

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Hungria
Pilotos Giedo van der Garde , Paul di Resta , Adrian Sutil , Nico Hulkenberg , Daniel Ricciardo , Max Chilton , Esteban Gutierrez , Charles Pic , Jules Bianchi
Tipo de artigo Últimas notícias