Ferrari deve reabrir túnel de vento no final de outubro

Equipamento foi fechado ano passado para reforma: “É como jogar basquete com uma mão nas costas”, comparou Domenicali

Depois de 18 meses, a Ferrari planeja reabrir em outubro seu túnel de vento. O equipamento, projetado em 1997, estava fechado para reformas após apresentar uma série de problemas de correlação de dados e atrasar o desenvolvimento dos carros. Durante este período, a equipe vinha utilizando o equipamento da Toyota, na Alemanha.

“É como jogar basquete com uma mão nas costas”, comparou o chefe da equipe, Stefano Domenicali. “Dá para treinar, mas quando tem de jogar, é melhor usar as duas mãos. Devemos voltar a ter as duas mãos [com a reabertura do túnel de vento]”, comemorou.

“Isso é crucial para nós. Temos sofrido por dois anos porque tivemos problemas de correlação. Então estamos animados para abri-lo de novo porque será uma grande ferramenta para usarmos.”

Mesmo com a perda de rendimento com o período necessário para a reforma, o desenhista-chefe da Ferrari, Simone Resta, defendeu a decisão.

“Em nosso mundo, tudo se move rapidamente, então sem pausas precisaríamos de muito tempo para um upgrade maior. Se não fechássemos, teríamos que fazer apenas pequenos incrementos. O equipamento da Toyota é bom, e também é usado por outras equipes. Isso nos deu a oportunidade para aprontar nosso túnel no final de outubro e ele será bem melhor do que antes.”

A solução dos problemas de correlação, que vêm marcando as últimas temporadas da Ferrari, chega em boa hora. Como salientou Fernando Alonso após o GP de Cingapura, a mudança de regulamento em 2014 dará a chance para os rivais encostarem na Red Bull.

“Há uma grande mudança no regulamento e essa é nossa melhor oportunidade de diminuir a diferença. Vamos colocar nossos esforços em 2014. Começamos do zero ano que vem, completamente.”

Falando sobre esta temporada, o espanhol acredita que a falta de adaptação da Ferrari aos pneus que a Pirelli introduziu, por motivos de segurança, a partir do GP da Hungria tenha sido fundamental.

“Começamos bem, fomos competitivos na Austrália, talvez não na classificação, mas estávamos cuidando bem dos pneus, junto da Lotus. Ganhamos na China, na Espanha, e depois pareceu que perdemos performance, especialmente quando os pneus de 2012 voltaram. Este foi o ponto do campeonato em que dissemos adeus [ao título].”

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias