Ferrari veta motores, e Red Bull fica sem saída para 2016

A escuderia italiana disse que não fornecerá seus motores ao time austríaco

Após semanas de negociações e troca de acusações pela imprensa, a Ferrari e a Red Bull encerraram negociações sobre fornecimento de motores para a temporada 2016. Segundo o site alemão Auto Motor und Sport, a escuderia italiana bateu o pé sobre oferecer somente os modelos 2015 do seu propulsor para a rival, que não aceitou os termos do acordo.

A negativa da Ferrari, somada ao veto da Mercedes, deixa os times da Red Bull seriamente ameaçados para 2016. A única opção da equipe seria restabelecer um acordo com a Renault, apesar das críticas públicas que ambos os lados trocaram recentemente. A Honda já havia se declarado incapaz de fornecer motores a outra equipe, além da McLaren.

 

 

Já a Toro Rosso teria os motores da Ferrari, de última geração, garantidos para o próximo ano. A escuderia italiana não vê a segunda equipe da Red Bull como uma ameaça aos seus carros, e por isso não se importaria em entregar a versão mais potente da sua unidade de potência para o time.

A Red Bull, portanto, teria como única saída para continuar na Fórmula 1 assinar novamente com a Renault, apesar de ter quebrado o contrato anterior, que era válido até o final de 2016. Caso contrário, a equipe deve mesmo abandonar a categoria e levar a sua segunda equipe, a Toro Rosso, junto.

 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias