FIA limita comunicação de rádio para dificultar tarefa dos pilotos na F1

A partir de Cingapura, pilotos devem 'agir sozinhos', sem o auxílio de engenheiros e chefes de equipe

Charlie Whiting emitiu um comunicado para as equipes confirmando as mudanças
Os telespectadores da Fórmula 1 perceberão uma ligeira mudança nas transmissões da próxima categoria a partir da etapa de Cingapura, marcada para o dia 21. A FIA (Federação Internacional de Automobilismo) confirmou nesta quinta-feira o ‘limite’ da comunicação de rádio entre equipe e pilotos para a corrida no leste asiático.
 
[publicidade] A partir de Cingapura, as equipes serão proibidas de comunicarem aos pilotos sobre dados que possam melhorar o desempenho de cada um dentro da pista. O objetivo da entidade é tornar a vida de quem está no cock-pit mais difícil e independente dos engenheiros.
 
Em entrevista à ‘Autosport’, Charlie Whiting, diretor de provas da F1, se apegou ao artigo 20.1 do regulamento esportivo da categoria, o qual diz que ‘o piloto deve guiar o carro sozinho e sem a ajuda’.
 
“Nenhuma conversa de rádio dos boxes para o piloto poderá incluir qualquer informação relativa à performance do carro ou do piloto", disse Whiting, no documento enviado às escuderias da categoria.
 
"Nós também gostaríamos de lembrar que as transmissões de dados dos pits para os carros também são proibidas, de acordo com os artigos 8.5.2 do Regulamento Técnico do Mundial", completou. 
 
A medida já é válida para o GP de Cingapura. 
 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias