FIA estuda mudar exigências para Superlicença na F1

Entidade discutirá possíveis alterações no regulamento em dezembro

Ida de Max Verstappen para a F1 ainda rende polêmicas
Um dia após Max Verstappen, 16 anos, guiar 400 km com a Toro Rosso e obter a quilometragem necessária para adquirir a Superlicença da Fórmula 1, a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) decidiu estudar as condições necessárias para os pilotos ingressarem na categoria máxima da modalidade.
 
[publicidade] Nesta sexta-feira, o Conselho Mundial da entidade instruiu a administração a rever as condições para um piloto adquirir o documento. Uma proposta definitiva sobre o assunto deverá ser apresentada no dia 3 de dezembro, data da próxima reunião do órgão, no Qatar.
 
Nas condições atuais, para obter uma licença, um piloto deve alcançar 300 km em um ritmo normal de corrida no volante de um F1 ou ser campeão em um evento de competitividade mundial (GP2 ou Fórmula 3, por exemplo) – os quatro primeiros lugares da Indy também possuem a ‘qualificação’.

A discussão sobre a Superlicença retornou nas últimas semanas muito em função de Max Verstappen. O piloto, já contratado como titular da Toro Rosso para 2015, se tornará o competidor mais jovem da história da categoria máxima doa automobilismo.
 
A ida de Verstappen intrigou ex-campeões, diretores e membros da alta cúpula da FIA. Portanto, a rediscussão da Superlicença retornará à pauta na próxima reunião do conselho.
 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias