FIA não vai impor nenhuma proibição de publicidade de bebida alcoólica, afirma Todt

Mesmo com a pressão de organização europeia, FIA não pretende agir contra isso, pois não é de sua jurisdição

Após uma forte pressão de uma organização política europeia (Eurocare), que pediu a FIA para que se proibisse a publicidade e patrocínios de marcas de bebidas alcoólicas nas transmissões de F1, o Presidente da entidade, Jean Todt afirmou que não tomará nenhuma medida sobre esse assunto.

A Eurocare criticou a Fórmula 1, pois há um excesso de publicidade de bebidas alcoólicas na categoria e isso vai contra todas as leis de conscientização contra o consumo de bebidas e direção. Entretanto, Todt rechaçou a ideia, pois sabe que as marcas são grandes contribuintes financeiros para o esporte, após a proibição das propagadas de cigarro.

Além disso, o francês afirmou que proibir a exposição das marcas está fora da jurisdição da FIA e que isso depende dos países de cada etapa, como por exemplo o Bahrein e Abu Dhabi, locais que são proibidos as publicidades de bebidas alcoólicas.

“O uso de publicidade ao álcool não está relacionada com a FIA. Está ligada a cada país em que a F1 visita. Eu sou completamente contra beber e dirigir, mas cada país precisa para fazer o seu próprio trabalho”, disse Todt em um Fórum na Alemanha.

"Você não pode simplesmente proibir o álcool, não é possível, mas você pode educar as pessoas a não beber e dirigir. Então, nós estamos trabalhando muito na educação, porque sabemos que é um tema fundamental a ser tratado", acrescenta.

Atualmente três equipes contém publicidades de bebidas em seus carros: a Mclaren (Johnnie Walker), a Williams (Martini) e a Force India (Smirnoff e Kingfisher).

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Fernando Alonso , Felipe Massa , Nico Hulkenberg
Equipes Williams , Force India , McLaren
Tipo de artigo Últimas notícias