“Foi uma corrida sem grandes surpresas", diz Di Grassi

Para atual piloto de testes da Pirelli, a mudança dos pneus afetou a estratégia das equipes, que passou a ser importante também no sábado

Largada do GP turco:

Atual piloto de testes da Pirelli, Lucas di Grassi esteve em Istambul para acompanhar o GP da Turquia, quarta etapa da temporada 2011 da F-1, e fez algumas considerações sobre a corrida deste domingo.

“Foi uma corrida sem grandes surpresas, ao menos em relação resultado, já que a equipe favorita saiu na primeira fila e conseguiu a dobradinha no pódio. Mas houve muitas disputas, ultrapassagens e troca de posições, o que é legal para quem está assistindo”, disse Lucas, que realizou testes durante a semana no circuito de Istambul Park.
 
“A pista da Turquia gera um desgaste de pneus muito alto em geral, sobretudo pela energia desprendida na curva oito. Isto fez com que a estratégia de pit stops fosse fundamental. Foi uma surpresa observar que os stints dos pneus macios e duros, no início e no fim da corrida, foram muito parecidos, entre dez e onze voltas, e a pista, apesar da grande quantidade de borracha deixada por esses pneus que propositalmente se desgastam, não mudou muito”, avalia.
 
Segundo Lucas, a mudança dos pneus afetou a estratégia das equipes, que agora ganhou peso no sábado. “Não é possível mensurar o quanto a estratégia de economizar pneus no sábado foi decisiva na vitória do Vettel, mas não há dúvida que contribuiu. O Felipe [Massa], por exemplo, também economizou pneus e isso não foi determinante na sua corrida. Cada caso é um caso.”
 
Quanto à utilização da asa móvel, di Grassi disse que “ela dá uma dinâmica interessante à corrida, permite ultrapassagens, mas é um pouco injusta como piloto que está na frente. Afinal, ele é atacado e não pode se defender.”
 
 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Turquia
Tipo de artigo Últimas notícias