França não volta para a F-1 porque não tem dinheiro, diz Vergne

Piloto francês acredita a categoria recuperaria os adeptos que perdeu nos últimos anos se tivesse GP

A França tem Jean-Eric Vergne, Romain Grosjean e Jules Bianchi no grid da Fórmula 1, além de ser representada também pela Renault, mas está fora do calendário da categoria desde 2008. Para o piloto da Toro Rosso, essa é uma questão ao mesmo tempo financeira e política em seu país.

[publicidade] “Adoraria que isso acontecesse. Seria ótimo. Há três pilotos franceses no grid, então seria lindo. A França tem um grande pedigree em esportes a motor. Ter a Fórmula 1 de volta seria algo que todos adorariam”, afirmou ao GPUpdate.

“Sabemos que há países que pagam muito dinheiro para receber a Fórmula 1 e a França não é o que costumava ser. Não é tão rica. Temos uma política diferente, não sei muito sobre isso. Tudo o que eu sei é que espero que a França volte ao calendário.”

Para Vergne, isso seria muito importante para alavancar novamente a popularidade da Fórmula 1 em seu país.

“Acho que perdemos um pouco [de popularidade], mas se o GP da França voltar, cresceria de novo. Temos três pilotos franceses e um fabricante de motores, que venceu muitos títulos nos últimos anos, então existe um potencial”, defende.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias