Gascoyne espera que Lotus passe para o Q2 em Hungaroring

Chefe da equipe anglo-malaia acredita na capacidade do time, já apresentada em Silverstone, e diz que pista húngara ajuda

Carro de Heikki Kovalainen em Nürburgring

Na opinião de Mike Gascoyne, a Lotus tem capacidade de colocar seus dois carros na segunda fase da classificação neste fim de semana em Hungaroring.

Segundo o chefe da equipe, as características travadas, aliada às limitações aerodinâmicas e o uso correto dos pneus na tomada de tempos, pode ajudar o time anglo-malaio a superar equipes maiores neste sábado.
 
"A Hungria sempre foi um dos circuitos nos quais todas as equipes usam o máximo de pressão aerodinâmica. Apesar de não ser um circuito de rua, exige um acerto parecido com os de Mônaco e Cingapura, uma vez que as características da pista não permitem uma grande ênfase em eficiência aerodinâmica", analisa.
 
"No passado, as equipes tentaram introduções inovadoras para gerar o máximo de pressão aerodinâmica possível, sacrificando a performance em favor de pontos de downforce. Mas, agora, as regras são tão apertadas e não há espaço para adicionar ou tirar coisas", continua o dirigente.
 
Segundo Gascoyne , a Lotus já surpreendeu na Grã-Bretanha e tem a capacidade de repetir o feito: "Com isso em mente, pudemos ver as diferenças entre as pontas do grid diminuirem significicantemente, e isso pode virar para o nosso lado. Mostramos em Silverstone que podemos colocar nossos carros no Q2 usando a estratégia correta, e isso pode acontecer na Hungria."
 
"Estamos, definitivamente, influenciando os planos das equipes da frente, uma vez que eles não podem arriscar ficar atrás de nós no Q1 usando os pneus duros. Então, podemos fazer o mesmo na Hungria e seguir lutando na turma do meio no sábado."
 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Hungria
Tipo de artigo Últimas notícias