Gerhard Berger acredita que existem categorias de base em excesso

Chefe da Comissão de Monopostos da Federação Internacional de Automobilismo quer 'salvar' a Fórmula 3

Para Gerhard Berger, ex-piloto de Fórmula 1 e atual Chefe da Comissão de Monopostos da FIA, o excesso de categorias de acesso e a falta de padronização das regras dificuldam a identificação de jovens talentos.

O austríaco opina que jovens pilotos surgem de vários lugares, e que o ideal seria canalizar isso. O caminho que ele considera mais importante é o da Fórmula 3 Inglesa que, para ele, precisa de auxílio.

"O mais urgente para se resolver é na Fórmula 3", ressaltou. "Sempre achei que essa classe era a mais importante para os jovens pilotos. É lá que você pode realmente ver, pela primeira vez, alguém de talento."

"Hoje em dia existem muitos campeonatos, e digo mesmo dentro da Fórmula 3. Existem campeonatos nacionais que correm até fora de seus países e com cada série tendo regras diferentes. Alguns países têm campeonatos que não são muito fortes, com apenas oito ou dez carros, e outros têm classes A, B e C. Essa não é de Fórmula 3 que conhecemos", finalizou Gerhard.

Antes de fazer sua estreia na Fórmula 1, Berger foi o terceiro colocado no geral, tanto no campeonato alemão, quanto no europeu de Fórmula 3. Além disso, ele conseguiu pódios em eventos de prestígio, como em Macau e Mônaco. Na F-1, obteve 12 poles e venceu 10 vezes nas 48 corridas em que subiu ao pódio.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias