Grosjean alfineta Maldonado e lamenta treinos livres perdidos

Tendo de ceder seu carro para Palmer por contrato em dez TL1s neste ano, francês se orgulha de seu desempenho apesar de dificuldade extra

Com 11 pontos a mais que o companheiro de equipe Pastor Maldonado, Romain Grosjean se diz chateado com o fato de ter de ceder seu carro em treinos livres para o piloto de testes da equipe, Jolyon Palmer.

"Tem dias que não tem jeito, você apenas aceita e lida com isso”, disse o francês.

"Este ano, quando me disseram que teria de desistir de dez TL1s, fiquei realmente chateado. Disse a eles que não era justo. Mas é assim que é, você tem de aceitar. No fim das contas, sem isso a equipe provavelmente não estaria operando. Se tivermos os mesmos pilotos de novo no ano que vem, acho que não vou ter nenhuma influência em nada também."

Perdendo rotineiramente 90 minutos de treino por final de semana neste ano, Grosjean se orgulha de sua performance até aqui - melhor que a de seu parceiro Maldonado. "Quando termina o TL2, é uma satisfação ver que você está à frente do seu companheiro de equipe, ou entre os cinco primeiros – como já aconteceu", alfinetou.

"Particularmente, temos de espremer muito trabalho em oito voltas com os pneus duros e três voltas de macios. E você precisa disso para obter todas as informações que puder. A relação que eu tenho com meus engenheiros torna isso possível. Claro que você vai perder um pouco aqui e ali, e nunca vai ser perfeito, mas acho que, em geral, estamos fazendo um bom trabalho."

Com três sétimos lugares neste ano (China, Bahrein e Hungria), Grosjean reconhece que a Lotus perdeu boas oportunidades.

"Perdemos algumas oportunidades e tivemos alguns problemas, mas, em geral, temos trabalhado bem juntos, tirando o melhor do carro a maior parte do tempo."

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Romain Grosjean
Equipes Lotus F1
Tipo de artigo Últimas notícias