Hamilton não deve ser chamado para conversa com Whiting

Presidente da GPDA, Barrichello negou o rumor, mas criticou postura de alguns, que falam muito por mensagem, mas evitam polemizar pessoalmente

Lewis Hamilton: tampando os ouvidos para as críticas

Protagonista da maior parte dos momentos polêmicos da Fórmula 1 dentro da pista em 2011, Lewis Hamilton não deve ser chamado para uma reunião com Charlie Whiting, diretor de provas da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), para uma conversa.

Segundo Rubens Barrichello, presidente da Associação de Pilotos, GPDA, rumores surgiram pela internet, mas nada foi falado oficialmente nos últimos dias nas trocas de mensagens via correio eletrônico entre os membros do grupo.
 
O brasileiro também fez uma crítica afirmando que muitas pessoas reclamam demais por meio de mensagens, mas evitam tocar no assunto quando todos os pilotos estão reunidos. "Na hora que tem de falar, quando todos estão de cabeças erguidas, muita gente acaba não falando a realidade. Por isso, não acredito que vá acontecer muita coisa."
 
"Para falar a verdade, eu vi na internet sobre o assunto, mas nada foi falado nesta semana. Ando respondendo muitos e-mails da GPDA, com tópicos que vão acontecer no fim de semana e no briefing, e existe muita falação", completa o veterano.
 
Fernando Alonso também acredita em nenhuma atitude contra Hamilton. "Não creio. Quando os pilotos devem falar, eles falam, falam, mas nunca falam nada. Eu não vou opinar. Existem pilotos com tendência a acidentes mais que os outros. Só que isso não significa ter má sorte em todas as corridas. Hamilton está sempre pagando pelos erros. Ele tomou cerca de seis ou sete punições neste ano e essas decisões são da FIA, não temos nada a ver com isso."
 
(Colaborou Luis Fernando Ramos, de Suzuka)

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Japão
Pilotos Lewis Hamilton
Tipo de artigo Últimas notícias