Heidfeld vê ultrapassagens mais fáceis na Malásia

Alemão da Renault acredita que o circuito de Sepang será um cenário mais favorável para testar a asa traseira móvel

Heidfeld quer deixar para trás o péssimo final de semana da Austrália

O alemão Nick Heidfeld, da Renault, espera que a etapa deste final de semana, a segunda da temporada de Fórmula 1, sirva para as equipes avaliarem melhor a eficácia da asa traseira móvel no aumento do número de ultrapassagens.

“Ultrapassar sempre foi mais fácil na Malásia devido ao desenho do circuito. Você tem longas retas seguidas de curvas de tomada lenta e devemos ver mais ação”, afirmou, por meio da assessoria de imprensa da equipe.

Heidfeld falou ainda sobre as dificuldades que teve na Austrália. O piloto largou na parte de trás do pelotão e se envolveu numa colisão logo no início da prova. Seu carro ficou bastante danificado e o alemão se arrastou até o final da prova.

“Foi obviamente desapontante – ainda mais porque ficou claro que havia muito potencial no carro”, reconheceu. “O equilíbrio não era o mesmo (depois da batida), a aderência era baixa, o que fez com que cuidar dos pneus ficasse muito difícil.”

A situação do carro de Heidfeld era tão crítica que os dados gerados pelas 57 voltas que deu no domingo em Melbourne sequer puderam ser usados pela equipe para ajudar no desenvolvimento do R31. “Só deu para aprender o procedimento da equipe”, disse o estreante na Renault, que substitui o lesionado Robert Kubica.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Malásia
Pilotos Nick Heidfeld
Tipo de artigo Últimas notícias