Horner: “Seria irônico se a Renault comprasse a equipe que vendeu”

Diretor da Red Bull garante que tem contrato prioritário vigente de fornecimento de motores com a Renault mesmo se franceses tiverem time próprio

Vivendo um momento difícil, a Renault considera muitas opções para os próximos anos na Fórmula 1. Fornecedora da Red Bull desde 2007, a montadora saiu da categoria oficialmente como equipe no final de 2011. No momento, os franceses pensam em retornar ao campeonato, e pode ser com a mesma equipe que venderam – a atual Lotus. No entanto, por ora, não há nada firmado oficialmente.

Chefe da Red Bull, Christian Horner não se preocupa com o que pode acontecer, já que o time tem um contrato que estabelece prioridade no desenvolvimento dos propulsores da marca francesa.

"Essas são decisões que eles têm de fazer. Iria ser uma certa ironia se a Renault comprasse de novo a equipe que eles venderam”, disse.

“Mas, da nossa parte, temos um acordo muito claro com a Renault que nos garante status de prioridade. Qualquer um desses cenários exige ter um motor competitivo - e realmente não importa a base do acordo que temos. Mas 2017 poderá ser um jogo completamente diferente."

Quando perguntado se a Red Bull considerara mudar de fornecedora de motores, Horner diz que não há foco sobre este assunto no momento. Para muitos, a Red Bull poderia voltar a utilizar motores Ferrari.

"Obviamente o Grupo Red Bull teve um relacionamento com a Ferrari por muitos anos como fornecedora de motores para a Toro Rosso. Sergio Marchionne [presidente da Ferrari] fez uma oferta generosa - mas sem quaisquer detalhes - no GP da Áustria. Mas agora o nosso foco é o que temos neste momento."

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes Red Bull Racing
Tipo de artigo Últimas notícias
Tags christian horner