HRT tem asa nova, mas De la Rosa não crê em evolução no carro

Espanhol também acredita que características de circuito canadense favorecerão estratégia de poucas paradas nos boxes

De la Rosa e Karthikeyan em Barcelona

Mesmo no fim do grid, é possível ter esperança de evolução. É o que acredita Pedro de la Rosa, que terá uma asa nova em seu HRT no GP do Canadá.

Contudo, o veterano espanhol sabe que este avanço não é o suficiente para fazer o carro do time mais fraco do grid ter um avanço significativo em uma pista que não faz o estilo do equipamento.
 
"Teremos uma asa nova de carga média, para pistas como esta e Spa-Francorchamps. Tirando isso, nenhuma outra melhora no carro. É difícil saber o comportamento do carro em uma pista como essa e a asa nova. O forte do carro é a freada e as curvas lentas, e esse circuito não tem isso", comenta De La Rosa, que crê em poucas paradas no GP canadense.
 
"Aprendemos no ano passado com os supermacios. Eles mudaram pouco. As voltas rápidas são entre a segunda e a quarta. Essa pista beneficiará a estrategia de poucas paradas e acredito que uma parada aqui pode acontecer. O problema é o frio, pois isso gera o graining, e não sou muito otimista em respeito ao tempo", completa.
 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Canadá
Pilotos Pedro de la Rosa
Tipo de artigo Últimas notícias