Hulkenberg admite dificuldade em se adaptar a novos carros

Alemão diz que atual geração exige pilotagem mais perfeita do que modelos usados até o final de 2013

Depois de virar sensação e chegar a ser cotado em equipes grandes, o alemão Nico Hulkenberg teve uma temporada discreta na Force India, e viu o companheiro Sergio Perez conquistar o único pódio do time no ano. O piloto admitiu ter tido dificuldades, a exemplo de campeões do mundo como Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen, de adaptar seu estilo de pilotagem aos novos carros.

[publicidade] Além de contarem com uma nova unidade de potência, com mais torque, os modelos de 2014 geravam muito menos pressão aerodinâmica que seus antecessores, especialmente na parte traseira.

“Foi um pouco desafiador”, reconheceu à Autosport. “É mais difícil porque não dá para forçar tanto. Com a pressão aerodinâmica [de 2013] dava para forçar facilmente e havia uma margem de segurança quando você exagerava que te salvava. Agora, quando você exagera, é muito mais fácil perder toda a volta, ainda que talvez isso acontecesse porque nosso carro era muito agressivo.”

Mas Hulkenberg evitou criticar os novos motores turbo híbridos. “Eles são bons. Em termos de dirigibilidade o motor Mercedes era incrível. Eles têm muita potência, a única dificuldade é usar essa potência com menos pressão aerodinâmica.”

O alemão só mudaria um detalhe nos motores: “Pessoalmente sinto falta do barulho, mas tirando isso os motores têm mais potência do que antes.” 

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias